Arquivo de Treino

Treino para a Maratona do Porto 2017 – 7ª Semana

Posted in 2017 / 2018 with tags , , , , on 1 de Setembro de 2017 by José Pedro

WP_20170827_10_12_56_Pro

Semana 7 – Treino 22 (terça, 22 de agosto): 6 x 800 metros c/ 45 seg. rec. (9 km)

Ao 22º treino fiz o meu primeiro treino de séries curtas. Depois de um bom aquecimento tentei ser o mais consistente possível no ritmo de cada série (4,39 – 4,39 – 4,48 – 4,40 – 4,48 – 4,43 min.) e o mais próximo possível do ritmo de provas de 5 kms. Senti-me bastante bem neste tipo de treino mas não consegui a consistência que pretendia devido a fatores que não consigo controlar, como o vento e alguma irregularidade do piso.

Semana 7 – Treino 23 (quinta, 24 de agosto): 14,5 km – 1:19:52 h

Até agora foi o treino mais longo feito durante a semana. Aquecendo bem os músculos, fiz uma primeira parte do treino em constante sobe e desce o que levou que o ritmo fosse algo inconstante. Quando entrei em terreno plano fui aumentando o ritmo para o de maratona e tentei manter-me por lá. No final do treino tive que por alguns travões, o corpo puxava para ritmos demasiado rápidos e contra producentes.

Semana 7 – Treino 24 (sexta, 25 de agosto): 8 km – 50:42 min.

Treino de recuperação feito a ritmo muito descontraído.

Semana 7 – Treino 25 (domingo, 27 de agosto): 24 km – 2:12:50 h

Voltei novamente ao meu local de treinos preferido, mesmo sendo bastante duro é sempre muito gratificante e mete sempre os meus indices de confiança em alta. Os primeiros 6,5 kms foram sempre a subir. Tentei nos primeiros quilómetros ir numa ritmo baixo para aquecer e depois tentei meter num que fosse confortável e pouco desgastante. Quando voltei para trás tinha o desafio de tentar controlar os 12 kms quase sempre a descer sem cair em tentação de entrar em andamentos e guardar energias para os últimos 5,5 kms quase todos s subir. A descida foi sempre feita num ritmo controlado e quando voltei a subir, ganhei fôlego e meti o ritmo de maratona. A meio da subida tive que fazer um quilómetro mais lento para fazer um ultimo abastecimento e ganhar forças para o fim do treino. Tendo em conta que o final do treino foi onde a inclinação da subida era mais acentuada, o ritmo do final do treino que consegui impor até me surpreendeu pela positiva.

Nike Zoom Vomero 9

Posted in 2016 / 2017 with tags , , , on 14 de Setembro de 2016 by José Pedro

wp_20160914_07_10_27_pro

Apresento o novo reforço para a presente época em substituição dos meus muito usados Nike Zoom Vomero 7: os Nike Zoom Vomero 9.

A minha escolha recaiu nestas sapatilhas por diversos factores:

  • Tenho-me dado muito bem com  Nike.
  • O antigo modelo encaixou nos meus pés que nem uma luva.
  • Este modelo é conhecido pelo seu bom amortecimento e estabilidade.
  • Ideal para todo o tipo de treinos e também para competições de estrada.
  • Preço – custou 46,00 € que para umas sapatilhas de topo é muito bom, mesmo sendo um modelo de 2015.

wp_20160914_07_10_50_pro

Agora é sair para a rua e verificar se foi uma boa compra!

Brevemente deixo aqui a minha opinião depois de serem testados em diversos treinos, de vários géneros e distâncias.

À conquista da Invicta.

Posted in 2015 / 2016, Treino with tags , , , , on 23 de Fevereiro de 2016 by José Pedro

RibeiraPorto

Durante as minhas visitas ao Porto fiquei sempre com vontade de experimentar correr ao longo do rio Douro, passar pela Foz e chegar ao inicio do oceano Atlântico. Também é uma parte do percurso usado durante a Maratona do Porto e é ver um mar de gente a praticar desporto ao longo dos 10 quilómetros que liga a zona da Ribeira do Porto a Matosinhos.

Sabendo que iria à Invicta e que iria ter muito tempo livre, levei o meu equipamento e no sábado de manhã meti-me à estrada.

Porto a Matosinhos

Foram 10 quilómetros de puro prazer. O percurso é quase sempre plano, muitas pessoas, uma paisagem de luxo e um sol de inverno fantástico que me fez companhia.

Se já andava com vontade de me estrear a Norte, ainda fiquei com mais vontade!

Pode ser que regresse novamente em Novembro.

Fantástico: advinha onde é?

Posted in 2015 / 2016, Desabafos with tags , on 16 de Novembro de 2015 by José Pedro

Ontem foi mais um dia de treinos e não foi o facto de estar fora que me impediu de fazer o que tinha planeado.

Foram 16 quilómetros fantásticos, pela fresca da manhã e num dos melhores percursos onde já treinei.

Sabes onde fica este percurso pedestre?

Chuva sedentária não molha desportista

Posted in 2015 / 2016, Desabafos with tags , , on 12 de Outubro de 2015 by José Pedro

Parque das Nações - Lisboa

Ontem tive um treino bastante molhado numa das minhas rotas preferidas. No decorrer do mesmo, fiquei agradavelmente surpreendido.

Se ao sair de casa pensava que ia ter um treino solitário devido ao mau tempo, enganei-me redondamente. O Parque das Nações estava repleto de corredores, caminhantes, ciclistas, turistas, peregrinos…

Ainda recordo com nostalgia os tempos em que ia correr no inverno, quem se cruzava comigo olhava-me com um olhar discriminatório, só via dois ou três corredores resistentes em que nos cumprimentávamos em sinal de solidariedade e saia de lá com a t´shirt de algodão completamente ensopada.

Ainda bem que a ” tradição ” já não é o que era e que a chuva já deixou de ser desculpa para ficar na cama em vez de se ir treinar.

Regresso ao local do crime.

Posted in 2014/2015 with tags , , , on 9 de Junho de 2015 by José Pedro

EcoPistaParedela (2)

Vai fazer um ano neste mês que tive o azar de contrair uma lesão durante um treino na Ecopista em Sever do Vouga e este fim de semana voltei lá.

Sabia que ia ser um treino duro, num percurso muito agradável e que tantos bom momentos me deu. Depois de uns bons alongamentos e de aquecer as articulações saí de Paradela em direcção à Foz, bem cedo para fugir ao calor e munido de uma garrafa de água.

Ecopista Sever do Vouga

 

Os primeiros 5 kms foram feitos em ritmo crescente já que o percurso o facilitava e vinha distraído com a paisagem o que ajudou a não dar conta que deveria ir um pouco mais lento.

Os retorno foi mais complicado. Veio à memória o quão duro é o percurso e muitas vezes enganador e o calor seco daquela região já começava a apertar. Fiz uma paragem técnica em cima da Ponte da Santiago para refrescar e livrar-me do peso da água e lá fui eu enfrentar os mais duros quilómetros do percurso.

Sai de lá bastante satisfeito por terminar os 10 kms mais duros do ultimo ano e sem qualquer tipo de mazela ou dor.

EcoPista Paradela

Brevemente irei lá voltar! Dessa vez vou escolher o percurso entre Paradela e Cedrim., 10 kms em que os primeiros 5 são na sua maioria a subir e os últimos o contrário.

Novo desafio… novo tipo de treino!

Posted in 2014/2015, Treino with tags , , on 20 de Abril de 2015 by José Pedro

Ao que tudo indica, brevemente vou tentar ultrapassar mais um desafio um pouco diferente da corrida. Este novo desafio vai ser muito exigente, tanto a nível físico, mas também a nível psicológico e emocional.

A logística está a ser preparada à meses, a parte psicológica e emocional tem sido trabalhada ao longe de vários anos e agora ando-me a dedicar mais à parte física alterando gradualmente o tipo de treino que vinha a fazer.

Queres adivinhar qual será o novo desafio? Analisando as fotografias do meu ultimo treino tens 50% de hipóteses de acertar!

Nostalgia a dobrar.

Posted in 2014/2015, Desabafos with tags , , on 6 de Abril de 2015 by José Pedro

Corrida do Metro

Nostalgia 1: antes de sair de casa para efetuar o meu treino tento sempre escolher o equipamento mais adequado ao treino que tenho em mente e às condições meteorológicas. A minha escolha recaiu sobre uma t´shirt de uma corrida que já não existe: Corrida do Metro.

Era uma corrida com a distância de 15 quilómetros, dentro da cidade de Lisboa e que começava e terminava perto de uma estação de metro e todos os anos tinha em percurso diferente.

Nostalgia 2:no treino do fim de semana passado tive uma agradável surpresa. Estava concentrado no meu treino quando passa por um em direcção contrária um corredor que me diz: ” Bom dia! “.

Respondi prontamente com alguma admiração por já à muito tempo tal não acontecer.Quanto me iniciei neste mundo era frequente os corredores cumprimentarem-se quando se cruzavam durante os treinos, infelizmente este hábito foi-se perdendo e eu também sou um dos culpados.

Primeira meta alcançada.

Posted in 2014/2015, Desabafos with tags , , on 20 de Março de 2015 by José Pedro

81760168

A recuperação tem sido lenta mas consistente.

Pé ante pé vou ganhando pernas e pulmão para alcançar secretamente uma meta que nem ás paredes confessava.

Semana após semana a forma vai melhorando, as grandes dificuldades passam a ser pequenas ” pedras no sapato ” e aos poucos o secreto objectivo vai ficando cada vez mais perto.

Pensei para mim mesmo: – ” Hoje é o dia! ”

Devagar lanço-me na pista de terra batida. Os quilómetros vão passando e a confiança vai aumentando e 59 minutos depois de ter iniciado mais um treino tinha alcançado o meu objectivo: 10 kms.

Enquanto fazia alongamento apareceu no meu pensamento o saudoso ano de 2007 em que pela primeira vez consegui passar esta barreira.

Passado tantos anos a sensação é muito semelhante: satisfação por alcançar um objectivo pretendido!

Velocidade furiosa a… 6:15 minutos/km.

Posted in 2014/2015, Desabafos, Lesão with tags , , on 13 de Janeiro de 2015 by José Pedro

01

A lesão ainda não me largou, mas aos poucos vou treinando e aumentando o tempo de treino.

No domingo fui até ao Estádio Nacional com a ideia de fazer uns descansados 40 minutos.

Pé ante pé lá fui eu. Meti um ritmo turbo-lento como convinha. Foi preciso estabilizar a respiração que também se treina, tentar não ter muitas oscilações na velocidade e procurar piso de terra batida sem grandes elevações ou descidas.

40 minutos depois e com dificuldades de quem aparentemente tinha acabado de correr uma Meia-maratona alcancei o meu objectivo do dia.

Movido pela curiosidade, calculei a distância que tinha percorrido e assim poder calcular o ritmo por quilometro.

6:15 minutos / km!

Pois é, voltei aos meus primórdios da corrida em que participava na Mini-maratona de Lisboa e o meu único objectivo era chegar à frente do vencedor da Meia-maratona, tendo em conta que ele corria o triplo da distância.

Ainda vou ter muito trabalho pela frente!