Arquivo de meia-maratona s. joão lampas

37ª Meia-Maratona S. João das Lampas 2013 – Inscrições Abertas

Posted in 2013/2014, Calendário de Corridas with tags , , , , , , on 22 de Julho de 2013 by José Pedro

Meia-maratonas.joaolampas

Pela 37ª vez vai-se realizar a Meia-Maratona S. João das Lampas.  Provavelmente é a Meia-maratona mais dura realizada em Portugal, em que a guestão de esforço é fundamental para chegar à meta sem dificuldades em que o tempo alcançado no final fica para segundo plano.

altimetriameiamaratonas.joãolampas

É uma das minhas obrigatórias, não só pelo desafio que é enfrentar tão complicado percurso, mas também pela fantástica organização e pelo caloroso apoio popular por onde passa tão popular corrida.

Informações e inscrições:

http://lampas.org/

36ª Meia-Maratona S. João das Lampas: Subi, desci e venci!

Posted in 2012/2013, As minhas corridas with tags , , on 10 de Setembro de 2012 by José Pedro

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pela 3ª vez ia enfrentar as tão faladas rampas da Meia-Maratona de S. João das Lampas. Se na 1ª vez fui apanhado de supresa, na 2ª já fui bastante cauteloso e na 3ª iria tentar tentar aplicar toda a experiência adquirida nas anteriores.

Ás 17 horas em ponto era dado o tiro de partida! Sabendo que os primeiros  5 quilometros são enganadores, arrisquei num ritmo cauteloso e confortavel. Pé ante pé lá fui enfrentando as primeiras pequenas dificuldades, mas sempre com o pensamento na contenção de esforços para o que lá vinha.

5 km – 25:07 min.

A partir do 5ª quilometro, na minha opinião, é que se inicia a verdadeira Meia-Maratona de S. João das ” Rampas”. Seriam 2 quilometros sempre a subir, com algumas de bastante inclinação e sem muitos pontos para recuperar o fôlego. Mantive-me sempre num ritmo muito certinho e lá ia passando estas primeiras grandes dificuldades da melhor maneira que conseguia. A partir do 7º quilometro iniciou-se um verdadeiro carrocel de sobe e desce. Lá ia subindo de maneira a não me desgastar muito e descendo devagar para recuperar alguma energia.

10 km: 51:35 min.

Passei aos 10 kms com menos 2 minutos do que tinha feito à 2 anos o que me deixou um pouco pensativo. Podia significar fazer um bom tempo ou um grande estoiro mais para a frente. Afastei esse pensamento da minha mente e continuei a seguir a minha estratégia. Sentia-me bem e assim queria continuar. Aos 13 kms, com nova passagem em S. João das Lampas a energia renovou-se com o enorme apoio popular, sempre importante para enfrentar os 8 quilometros finais. A partir deste momento as rampas e as descidas já não seriam tão inclinadas, mas teria que gerir o desgaste já acumulado.

15 kms: 1:17:12 h.

No abastecimento dos 15 kms fiz um erro que me custou bastante caro. Havendo nesselocal  bebida isótonica servida em copos, resolvi meter-me a passo para poder aproveitar ao máximo esse precioso néctar e não desperdicar para cima de mim e para o chão. Foi o pior que poderia ter feito! Quando tentei retomar o ritmo, as pernas não respondiam. Baixei drasticamente o ritmo na esperança de conseguir recuperar e voltar a um mais vivo. Depois de muito batalhar lá consegui, mas foi de pouca duração. Na última subida voltei a sentir enormes dificuldades e deixei-me ir lentamente na esperança de poder ter algumas energias para enfrentar os últimos 2 quilometros que são maioritáriamente a descer. Na fase do desespero consegui apanhar “boleia” de um corredor da 4@run que ia com um ritmo vais dinâmico. Foi uma boa cooperação até á meta, cada um deu o que podia ajudando-nos mutuamente. Tendo a meta á vista, ainda consegui ir buscar as últimas energia para fazer o sprint final.

Tempo Oficial: 1:51:35 h

Tempo Real: 1:51:21 h

Fiquei muito satisfeito com o meu desempenho. Consegui bater o meu RP da prova por larga margem, mesmo tendo feito o erro de principiante nos 15 kms que poderia ainda ter custado mais caro.

Em termos de organização, não há nada a apontar, 5 estrelas e com um saco de brindes de fazer inveja a muito boa gente!

Plano de Treinos – Meia-Maratona

Posted in 2012/2013, Dicas, Treino with tags , , , , , , on 24 de Agosto de 2012 by José Pedro

Fica aqui o plano que costumo seguir na minha preparação para as Meias-Maratonas:

2ª feira: Recuperação ou descanso.

3ª Feira: Velocidade ou VO 2.

4ª Feira: Recuperação.

5ª Feira: Descanso

6ª Feira: Ritmo de competição

Sábado: Recuperação ou descanso.

Domingo: Treino Longo.

HalfMaratonPlan

Início da época 2012/2013 em S. João das Lampas

Posted in 2012/2013, Calendário de Corridas with tags , , on 24 de Julho de 2012 by José Pedro

A primeira corrida da época já está escolhida: a fantástica e nada facil Meia-Maratona S. João das Lampas. O ano passado não arrisquei a passar por lá por falta de preparação, mas este ano não podia escapar como preparação para a Maratona do Porto!

Back to Work…

Posted in 2012/2013 with tags , , on 4 de Julho de 2012 by José Pedro

Parece mentira, mas é verdade… estou de volta aos treinos!

Depois de um mês de férias vou iniciar a preparação para a época  2012/2013. O principal objectivo da época será a participação pela primeira vez na Maratona do Porto. Reformulei o meu plano de treinos   e até chegar a tão desejada data ainda pretendo enfrentar as subidas da Meia-Maratona S. João das Lampas.

Na 2ª metade da época vou centrar as minhas atenções nos 10 kms. Vou escolher uma corrida com essa distância, treinar com o objectivo de tentar baixar o meu melhor tempo.

A corrida é feita de objectivos e no final é que as contas serão feitas, até lá à que suar!

34ª Meia-Maratona S. João das Lampas 2010

Posted in As minhas corridas with tags , , on 13 de Setembro de 2010 by José Pedro

Seria a 2ª vez que iria participar em tão dura corrida. Contava com a experiência do ano anterior para poder ultrapassar todas as dificuldades que fossem aparecendo sem sofrer muito e tentar não me meter um loucuras.

Iniciei a corrida num ritmo descontraido e na companhia do sempre alegre José Magro. Como não sou grande coisa a subir, tentava não forçar muito nas subidas, tentar recuperar as energias nas descidas e no pouco terreno plano ir em ritmo confortavel.

5 km – 25:53 min.

Os primeiros 5 kms foram feitos sem grande esforço, mas foi aí que apareceu a primeira grande subida e perdi a companhia do Magro. Os restantes quilometros seria eu, a minha música e a magnifica paisagem campestre. Mantive o ritmo que tinha em pensamento e estava tudo a correr bastante bem.

10 km – 53:33 min.

Continuava a sentir-me confortavelmente bem, mesmo enfrentando algumas dificeis subidas. A minha preocupação a seguir seria a enorme descida aos 11 km. É bastante inclinada e tinha que ter bastante cuidado com os meus joelhos. Aos 13 km estavamos de volta ao ponto de partida, a calor humana deu-me novo alento para os restantes quilometros e tive um abastecimento extra. A partir daqui o terreno seria mais plano, mas bastante enganador. As dificuldades continuavam a existir, mas não eram tão evidentes.

15 km

Tentei refrescar-me ao máximo no abastecimento dos 15 km e depois de passar a subida dos 16 kms tentei aumentar o ritmo até ao final da corrida. Sentia-me bem e as pernas estavam a responder á alteração de velocidade. Depois da última subida aos 18 kms ainda forcei mais. Até á meta era práticamente tudo a descer. Sentia-me bem e nos últimos 500 mt. ainda deu para dar um último sprint e conseguir melhorar a marca alcançadano ano passado.

Tempo Oficial: 1:54:16 h.

Tempo Real: 1:54:05 h.

33ª Meia Maratona de S. João das Lampas

Posted in As minhas corridas with tags on 15 de Setembro de 2009 by José Pedro

AL090912_0168

JG090912_0442

VR20090912_0382

VR20090912_0995

JD20090912_868

AL090912_0855

Aceitando o desafio de vários amigos, sábado lá fui eu direito a S. João das Lampas participar na meia-maratona.

A corrida é conhecida pelas rampas que temos que pela frente o que causa bastantes dificuldades. Como tinha sido alertado por quem já fez a corrida, a ideia era ir nas calmas, gerir bem os esforço e terminar sem grandes dificuldades.

Ás 17 horas em ponto foi dada a partida. Meti-me na cauda do pelotão e deixei-me ir num ritmo confortavel e sem grandes exageros. Os primeiros kms foram feitos sem grandes dificuldades, ia mantendo um ritmo certo nas subidas e aproveitava as descidas para recuperar forças e relaxar.

Depois do abastecimento do 10 km tive a minha primeira grande dificuldade. Com o abastecimento descontrolei o ritmo e a respiração e logo de seguida apareceu uma subida bastante acentuada. Sofri um pouco para retomar o ritmo.

Aos 13 kms vi a meta, mas ainda faltavam 8 kms. Deu um novo alento per o apoio de pessoas conhecidas a darem-nos apoio.

Se pensava que as principais dificuldades estavam um trapassadas, bem enganado estava. As subidas continuaram a existir , mas deve vez eram mais matreiras. Quase não se davam por elas mas continuavam a massacrar as pernas e a mente.

Á passagem dos 16 km reparei que tive uma quebra enorme e que já sentia dificuldades. Resolvi abrandar o passo e recuperar energias que surgiram novamente aos 18 kms. Daí até á meta fui sempre num ritmo crescente e com o apoio de amigos perto da meta ainda mais facil se tornou.

Tempo oficial: 1:54:37 h.

Tempo real: 1:54:29 h.

Para mim o mais importante não foi o tempo alcançado, mas ter terminado tão dura corrida!

Fiquei espantado por ver tantas pessoas a estrada a apoiarem os corredores e com mangueiras para refrescar. Não ouvi buzinas ao contrario de muitos locais onde já corri e os voluntários foram de uma amabilidade sem limites.

Um agradecimento aos amigos que encontrei, sem eles não teria sido tão agradavel

Os meus parabéns á organização, para o ano cá estarei!