Arquivo de Lisboa

Treino para a Maratona do Porto 2017 – 9ª Semana

Posted in 2017 / 2018 with tags , , , , , , , on 15 de Setembro de 2017 by José Pedro

Captura de Ecrã (209)

Semana 9 – Treino 30 (Quarta, 6 de Setembro): 5 x 1,5 km c/ 90 seg. rec.(11 km) – 1:03:12 h

Depois de sair do ultimo treino com algumas dores no pé direito, meti-me à estrada sem saber bem que tipo de treino iria fazer. Durante o aquecimento senti-me bem e resolvia arriscar no treino que tinha planeado que seriam séries longas. Tentei meter em cada série um ritmo confortável e de preferência que fosse muito próximo do ritmo dos 10 kms. Não consegui andar no ritmo que pretendia (5:09, 4:59, 5:01, 5:00, 5:00 min./km), mas fiquei bastante satisfeito por ter sido bastante consistente e por quase não sentir dores.

Semana 9 – Treino 31 (Quinta, 7 de Setembro): 10 km – 1:03:12 h

Dia calmo com treino de recuperação. Senti durante todo o treino o corpo a querer ritmos mais vivos, mas tive que controlar essa vontade e manter sempre o ritmo baixo.

Semana 9 – Treino 32 (Sexta, 8 de Setembro): 14,5 km – 1:22:48 h

Treino em que o ritmo da maratona seria o objectivo. Depois do aquecimento o ritmo foi aumentando naturalmente até chegar ao pretendido. Foi um pouco complicado manter estável devido ao desgaste acumulado e ao forte vento que se fazia sentir.

Semana 9 – Treino 33 (Domingo, 10 de Setembro): 29 km – 2:43:18 h

Depois do desgaste e das dores que senti no treino longo anterior, abordei este treino de uma forma bastante cautelosa. Depois do aquecimento o ritmo foi aumentando de uma forma gradual e consistente até chegar a um ritmo que fosse confortável e abaixo do que tinha feito em treinos longos anteriores. Mantive o andamento estável durante largos quilómetros e sempre que me apercebia que o corpo queria mais tentava sempre contrariar essa vontade. A partir do quilómetro 22 comecei a sentir algumas dificuldades, não só tive que lidar com o natural desgaste mas também com o vento que agora era contrário e com alguma força. Para manter o ritmo o esforço estava a ser superior e as pernas ressentiam-se por este trabalho extra. Aguentei-me até aos 27 quilómetros e nos últimos quilómetros optei por ir num ritmo mais moderado e controlar o desgaste. O treino até correu bem, só não contei com o vento que foi um “adversário” de respeito.

 

Anúncios

XI Memorial Francisco Lázaro 2017 – I Feel Good.

Posted in 2016 / 2017, As minhas corridas with tags , , on 14 de Julho de 2017 by José Pedro

Francisco Lazaro

Domingo foi dia de mais uma participação do Memorial Francisco Lázaro na freguesia de Benfica.

Sabendo das dificuldades do percurso e do desconhecimento do meu actual estado físico, resolvi ter uma abordagem cautelosa à prova. Felizmente o São Pedro foi meu amigo e resolveu oferecer um dia fresco, considerando que já estamos em Julho.

Meti-me na cauda do pelotão e parti para a prova com um ritmo moderado um pouco acima dos 5:00 min./km. Logo no final do segundo quilómetro veio uma subida de respeito. Tentei manter um ritmo confortável que não comprometesse a restante prova. Assim que apanhei um percurso mais plano, tentei recuperar o fôlego e fui aumentando gradualmente o ritmo. A partir dos quatro quilómetros o terreno ia ligeiramente inclinando, mas a partir dos 4,8 kms a “parede” tornou-se complicada e entrei novamente em modo de “piloto automático”.

5 km – 25:47 min.

A subida continuava e logo após o abastecimento tivemos o retorno. Sabendo que as dificuldades que tive na primeira parte do percurso iam-se transformar em facilidades, refresquei-me, ganhei energia e iria atacar a segunda parte da prova com força. O ritmo ia aumentando gradualmente e sentia-me bastante confortável. Por volta dos 8,2 km ultrapassei a ultima grande dificuldade do percurso e tentei ir no limite até à meta. Noa ultimos 500 metros perdi um pouco o ritmo, mas o objectivo para esta prova foi largamente suplantado.

Tempo Oficial: 48:27 min.

Tempo Real: 48:15 min.

Francisco Lázaro 2017

Sei que uma prova de 10 kms não é termo de comparação com a maratona, mas que me deixou mais confiante para iniciar a minha preparação para a Maratona do Porto, deixou!

Rock N´Roll Lisbon Marathon – Inscrições Abertas.

Posted in Calendário de Corridas, Uncategorized with tags , , on 16 de Dezembro de 2016 by José Pedro

captura-de-ecra-144

Já estão abertas as inscrições para a Maratona de Lisboa 2017. Depois da organização do Porto por as inscrições a um preço promocional, agora foi a vez de Lisboa. Quem quer ir é aproveitar, a inscrição está nos 25,00 €.

Informações da Rock N´Roll Lisbon Marathon

Inscrições para residentes em Portugal

Meia-Maratona do Descobrimentos 2016 -São Pedro não foi amigo.

Posted in 2016 / 2017, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , , on 5 de Dezembro de 2016 by José Pedro

15317931_583020241888763_4887611363523241966_n

Domingo foi mais um dia de Meia-Maratona dos Descobrimentos. Cheguei cedo ao local de partida e rápidamente juntei-me aos outros membros do ” gang do Jamor “.  O dia estava bastante ” feio “, o que obrigou a um aquecimentos mais prolongado, a usar equipamento que para mim é pouco usual em corrida e posicionar-me na linha de partida o mais tarde possível.

Assim que foi dado o tiro da partida cada membro do ” gang do Jamor entrou no seu ritmo e cada um ficou por sua conta. Parti cauteloso e aos poucos fui entrando no ritmo que achava mais adequado ao meu estado físico. A chuva não dava descanso e quando mudamos de sentido por volta dos 2 kms apanhei o vento de frente, mesmo não sendo muito forte fazia-se sentir. Aos poucos, com alguma dificuldade o ritmo ia ficando mais vivo até chegar os 5 min/km.

5 km – 26:11 min.

Estava difícil de estabilizar o ritmo. O vento e as constantes mudanças de tragetória para evitar alguns perigos iam aparecendo devido à chuva iam tornando quase impossível manter-me  certo. Com o aproximar do quilómetro 10, veio a zona que menos gosto do percurso, o empedrado entre o Cais do Sodré e a Praça do Comercio. Neste local nunca consegui manter o ritmo e devido às inúmeras poças de água existentes tornei-me cauteloso e a passada ficou mais lenta.

10 km – 51:23 min.

Depois do empedrado tentei entrar no ritmo,  estava complicado mas aos pouco foi subindo até ao que eu achava ideal. Infelizmente não o consegui manter por muito tempo. À passagem dos 12,5 kms e com o respectivo retorno, o vento deixou de se fazer sentir, a chuva tinha abrandado bastante. Senti-me a ficar quente e tive que tirar o corta-vento e amarar à cintura o que me fez baixar novamente o ritmo. Sabendo que ainda ia apanhar empedrado no Rossio e novamente no Cais do Sodré tentei economizar algumas energias até passar por esta parte do trajecto que para mim é complicada e tentar fazer os últimos quilómetros mais certinho.

15 kms – 1:16:56 h

Aproveitei o abastecimento dos 15 quilómetros para alimentar-me, hidratar-me, refrescar-me, ajustar o equipamento à melhoria das condições climatéricas e preparar-me psicologicamente para os últimos 5 quilómetros. Meti o ” piloto automático ” nos 5:04 min./km e assim fui até cortar a meta.

percursomeiamaratonadescobrimentos

Tempo Real: 1:48:23 h

Tempo Oficial: 1:48:58 h

Foi a primeira vez que corri com as condições climatéricas tão adversas, o que serviu de aprendizagem para futuras corridas e sendo o meu primeiro objectivo ( fazer abaixo da 1:50 h ) alcançado. Tinha um segundo objectivo que não foi alcançado, mas que também não  o vou divulgar, ficará à espera de uma próxima oportunidade.

meia-maratonadescobrimentos2016

Penso que foi a primeira vez que a organização da prova me tirou tanto tempo no tempo real, penso que tenha havido um erro na cronometragem. 

 

Corrida das Castanhas 2016 -Estreia.

Posted in 2016 / 2017, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , , , on 14 de Novembro de 2016 by José Pedro

15107406_10211203767275659_1597413310919258039_n

Finalmente fiz a minha estreia nesta corrida. Sai cedo de casa, deixei o carro na meta e dirigi-me para a linha de partida de autocarro.

Conhecendo minimamente as dificuldades do percurso, tinha em mente fazer uma abordagem calculista no primeiros 8 quilómetros que são um verdadeiro carrossel de sobe e desce, ficando assim resguardado para os últimos 2 quilómetros o resto da energia já que são sempre a descer.

Depois de um bom aquecimento com mais dois membros do gang do Jamor, lá fomos para a linha de partida.

Saímos com bastante calma, já que a estrada estreia não deixava espaço para muito mais. Os primeiros três quilómetros foram feitos tipo circuito à volta da Alameda Keil do Amaral, sempre com pequenas subidas ou descidas que não provocavam grande moça. A caminho do Pina Manique aproveitei uma boa descida para recuperar algumas energias e preparar-me para a maior dificuldade da prova.

5 km: 25:07 min.

Após o abastecimento tentei hidratar-me e refrescar-me tendo sempre o cuidado de não deixar cair muito o ritmo. A partir do quilómetro 6 a estrada começou a empinar e as dificuldades a aumentar. Tentei meter um ritmo certo de poupança, mas com o aumento da inclinação tive que baixar ainda mais o ritmo. Depois de 2 quilómetros sempre a subir iniciou-se a longa descida até à Ajuda. Numa primeira fase tentei recuperar o fôlego da longa subida e aos poucos e poucos fui aumentando o ritmo. A descida era tão acentuada e a velocidade era tanta que optei por pôr um limite para minha segurança. Terminei a prova a alta velocidade e cheio de energia.

Tempo Real: 47:35 min.

Tempo Oficial: 47:59 min.

15078603_10211203768035678_15659755429321039_n

Gostei imenso da prova, principalmente por ser numa zona que conheço bem e que sai um pouco fora do eixo Algés / Cais do Sodré. No final um ” miminho ” da organização, castanhas assadas e água pé. A ” cereja em cima do bolo ” foi ter feito o melhor resultado na distância desde que voltei da lesão em 2015.

Fotos Patrícia Silva.

corridacastanhas2016

As escolhidas… até 2017.

Posted in 2016 / 2017, Calendário de Corridas, Uncategorized with tags , , , , , , , on 13 de Outubro de 2016 by José Pedro

As provas até ao final do ano já estão escolhidas:

Corrida das Castanhas

corridadascastanhas2016 

Nunca participei nesta corrida, mas já ando a pensar nela desde a primeira edição. Aparentemente tem um percurso desafiador que foge dos percursos muito batidos ao longo do rio e com uma descida final que só poderá ser aproveitada por quem ainda tiver pernas. Estou muito curioso nesta minha estreia.

Meia-Maratona do Descobrimentos

meiamaratonadosdescobrimentos_16

Esta prova já um clássico. Participei diversas vezes quando se realizava juntamente com a Maratona de Lisboa, o meu RP na distância foi obtido nesta prova em 2013, foi onde retomei as provas nesta distância depois de uma demorada lesão em 2015… digamos que é obrigatória no meu calendário. Tenho pena que este ano tenham retirado a subida no inicio da prova.

59º Grande Prémio de Natal

grandepremionatal2016

Desde 2012 que não participo nesta prova e nas únicas duas vezes que realizei tive um final insólito. Em 2009 a prova teve menos 400 metros e em 2012 a prova terminou a 200 metros da meta porque o sistema de classificação tinha avariado. Espero que este ano não aconteça nenhuma destes imprevistos. O principal motivo que me levou a voltar a esta prova foi ter reparado que o percurso é fora do eixo Algés / Belém / Cais do Sodré o que torna a prova bastante aliciante.

São Silvestre da Amadora

catarinaribeiro_ssamadora_h

Para terminar bem o ano tenho em mente ir à São Silvestre da Amadora que por incrível que possa parecer será uma estreia. Sempre ouvi dizer bem do percurso e que os habitantes da Amadora vêm em peso à rua para apoiar os atletas. Vamos ver se é desta que estarei na mais emblemática São Silvestre de Portugal.

X Memorial Francisco Lázaro – quente carrossel.

Posted in 2015 / 2016, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , , , , on 13 de Julho de 2016 by José Pedro

Este é o ano de muitas estreias e no domingo estreei  mais uma corrida . Mesmo sendo numa zona que me diz muito sempre evitei participar devido à altura do ano em que se realiza e à tardia hora de partida.

Como é habitual da minha parte cheguei, bastante cedo. Equipei-me, fiz uns alongamentos e iniciei o aquecimento. Antes de ir para a linha de partida optei por me refrescar num bebedouro. O sol já castigava e para alem do carrossel de subidas e descidas ia ser a principal dificuldade para obter um bom tempo.

Captura de Ecrã (65)

Percurso

Dado o tiro de partida sai um pouco mais rápido que que estava a contar, já sabemos que por vezes a adrenalina manda mais que a cabeça. Mesmo sendo o inicio ligeiramente a subir ainda arranquei um 4:45 min/km no primeiro quilómetro. Tentei controlar o ritmo e mesmo na subida logo após segundo quilometro arranquei um promissor 5:03 min/km. Chegando ao terreno plano tentei estabilizar o ritmo temendo pagar caro mais tarde tamanha ousadia. Estudando mal o percurso não me preveni para a pior subida do percurso aos 4,5 km em pleno Monsanto.

5 kms: 25:27 min.

Foi quase um quilometro sempre a subir e com uma boa inclinação. Assim que cheguei ao retorno e já em descida, tentei recuperar um pouco as forças. A passagem por detrás do parque de campismo e feita numa descida bastante inclinada. O ritmo acelerou naturalmente mesmo tentando meter um ligeiro travão para não ir por ali a baixo descontroladamente. Mas foi sol de pouca duração, depois dos 7 kms apareceu mais uma longa subida. Optei por não forçar, meti o ” piloto automático ” para assim tentar poupar forçar para os últimos 2 kms que são quase sempre a descer. Repousei e refresquei-me bastante na descida para o túnel da Buraca e enfrentei a ultima dificuldade com determinação que foi mais uma subida logo após o túnel. Assim que me apanhei na descida deixei o corpo ir perto do seu limite, mesmo não conseguindo imprimir um ritmo que mais desejava por já estar desgastado. Entrei no campo do ” Fófó ” com vontade de ver a meta à frente, o calor e o desgaste faziam mossa só queria terminar bem.

Tempo oficial: 50:50 min.

Tempo Real: 50:33 min.

Captura de Ecrã (66)

Altimetria

Gostei imenso do percurso, tenho pena que o inicio da prova seja às 10 horas, que sendo realizada em Julho a temperatura já está bastante alta e podiam intervalar melhor os dois abastecimentos.

Captura de Ecrã (67)

Curiosamente o meu número de dorsal foi exactamente o mesmo que a minha classificação geral: 93.

Aqui está a prova do ” crime ” ao minuto 15:04