Arquivo de Ecopista de Sever do Vouga

Regresso ao local do crime.

Posted in 2014/2015 with tags , , , on 9 de Junho de 2015 by José Pedro

EcoPistaParedela (2)

Vai fazer um ano neste mês que tive o azar de contrair uma lesão durante um treino na Ecopista em Sever do Vouga e este fim de semana voltei lá.

Sabia que ia ser um treino duro, num percurso muito agradável e que tantos bom momentos me deu. Depois de uns bons alongamentos e de aquecer as articulações saí de Paradela em direcção à Foz, bem cedo para fugir ao calor e munido de uma garrafa de água.

Ecopista Sever do Vouga

 

Os primeiros 5 kms foram feitos em ritmo crescente já que o percurso o facilitava e vinha distraído com a paisagem o que ajudou a não dar conta que deveria ir um pouco mais lento.

Os retorno foi mais complicado. Veio à memória o quão duro é o percurso e muitas vezes enganador e o calor seco daquela região já começava a apertar. Fiz uma paragem técnica em cima da Ponte da Santiago para refrescar e livrar-me do peso da água e lá fui eu enfrentar os mais duros quilómetros do percurso.

Sai de lá bastante satisfeito por terminar os 10 kms mais duros do ultimo ano e sem qualquer tipo de mazela ou dor.

EcoPista Paradela

Brevemente irei lá voltar! Dessa vez vou escolher o percurso entre Paradela e Cedrim., 10 kms em que os primeiros 5 são na sua maioria a subir e os últimos o contrário.

Um dia de treino diferente.

Posted in 2013/2014, Treino with tags , , , , , , on 4 de Fevereiro de 2014 by José Pedro

ecopistaSeverdoVouga

Acordei cheio de energia. O dia lá fora ameaçava chover depois de uma noite em que o S. Pedro deu poucas tréguas.

Arrisquei. Sai de Pessegueiro do Vouga em direcção à antiga estação de comboios da Paredela que pertencia à famosa linha do Vouga já desactivada. Depois de uma descida de quase 1 km e de uma subida de 0,8 km, com uma inclinação a chegar aos 5% cheguei bem quente ao meu destino: a Ecopista de Sever do Vouga.

Optei por me dirigir para a zona da Foz. O percurso é mais a descer e acompanha o percurso do rio Vouga. A  “poluição ” da natureza absorvia os meus sentidos.  O som da água a correr, o piar dos pássaros madrugadores e o vento a bater na folhagem iriam ser a minha banda sonora deste treino.

ecopistaSeverdoVouga1

Os meus olhos estavam absorvidos por tantos estímulos, o tempo foi correndo sem que eu desse conta e tinha chegado a altura de voltar para trás e voltar a ver tudo de uma perspectiva diferente.

Rapidamente voltei a Paredela e como o meu treino só ia a meio continuei na Ecopista em direcção a Cedrim num percurso quase sempre a subir. Desta vez deixava de ter o rio Vouga por companhia, mas não faltava o som de água dos muitos ribeiros e riachos que descem a encosta de encontro ao rio.

O verde continuava a dominar a paisagem de montes e vales de perder de vista sempre perfumado pelo inconfundível aroma de uma lareira acesa.

ecopistaSeverdoVouga4

Aos poucos a Ecopista foi ganhando vida com outros corredores, ciclistas e caminhantes. Chegando à Capela da Nossa Senhora dos Milagres em Cedrim, tinha chegado ao ponto de regresso. Resisti à tentação de ser ajudado pela gravidade e continuei no meu ritmo de treino / passeio, ajudando-me a observar mais facilmente o que se passava em meu redor.

De Cedrim a Paredela foi bastante tranquilo e Pessegueiro do Vouga seria o meu destino final, terminando o meu treino com uma descida íngreme sempre feita a travar e com uma subida suave, mas algo longa.

Saí de lá com a alma cheia e com a sensação que à muito tempo não tinha um treino que motivasse a fazer mais e melhor.

Espero em breve repetir!