Arquivo de belém

Meia-Maratona do Descobrimentos 2016 -São Pedro não foi amigo.

Posted in 2016 / 2017, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , , on 5 de Dezembro de 2016 by José Pedro

15317931_583020241888763_4887611363523241966_n

Domingo foi mais um dia de Meia-Maratona dos Descobrimentos. Cheguei cedo ao local de partida e rápidamente juntei-me aos outros membros do ” gang do Jamor “.  O dia estava bastante ” feio “, o que obrigou a um aquecimentos mais prolongado, a usar equipamento que para mim é pouco usual em corrida e posicionar-me na linha de partida o mais tarde possível.

Assim que foi dado o tiro da partida cada membro do ” gang do Jamor entrou no seu ritmo e cada um ficou por sua conta. Parti cauteloso e aos poucos fui entrando no ritmo que achava mais adequado ao meu estado físico. A chuva não dava descanso e quando mudamos de sentido por volta dos 2 kms apanhei o vento de frente, mesmo não sendo muito forte fazia-se sentir. Aos poucos, com alguma dificuldade o ritmo ia ficando mais vivo até chegar os 5 min/km.

5 km – 26:11 min.

Estava difícil de estabilizar o ritmo. O vento e as constantes mudanças de tragetória para evitar alguns perigos iam aparecendo devido à chuva iam tornando quase impossível manter-me  certo. Com o aproximar do quilómetro 10, veio a zona que menos gosto do percurso, o empedrado entre o Cais do Sodré e a Praça do Comercio. Neste local nunca consegui manter o ritmo e devido às inúmeras poças de água existentes tornei-me cauteloso e a passada ficou mais lenta.

10 km – 51:23 min.

Depois do empedrado tentei entrar no ritmo,  estava complicado mas aos pouco foi subindo até ao que eu achava ideal. Infelizmente não o consegui manter por muito tempo. À passagem dos 12,5 kms e com o respectivo retorno, o vento deixou de se fazer sentir, a chuva tinha abrandado bastante. Senti-me a ficar quente e tive que tirar o corta-vento e amarar à cintura o que me fez baixar novamente o ritmo. Sabendo que ainda ia apanhar empedrado no Rossio e novamente no Cais do Sodré tentei economizar algumas energias até passar por esta parte do trajecto que para mim é complicada e tentar fazer os últimos quilómetros mais certinho.

15 kms – 1:16:56 h

Aproveitei o abastecimento dos 15 quilómetros para alimentar-me, hidratar-me, refrescar-me, ajustar o equipamento à melhoria das condições climatéricas e preparar-me psicologicamente para os últimos 5 quilómetros. Meti o ” piloto automático ” nos 5:04 min./km e assim fui até cortar a meta.

percursomeiamaratonadescobrimentos

Tempo Real: 1:48:23 h

Tempo Oficial: 1:48:58 h

Foi a primeira vez que corri com as condições climatéricas tão adversas, o que serviu de aprendizagem para futuras corridas e sendo o meu primeiro objectivo ( fazer abaixo da 1:50 h ) alcançado. Tinha um segundo objectivo que não foi alcançado, mas que também não  o vou divulgar, ficará à espera de uma próxima oportunidade.

meia-maratonadescobrimentos2016

Penso que foi a primeira vez que a organização da prova me tirou tanto tempo no tempo real, penso que tenha havido um erro na cronometragem. 

 

Anúncios

As escolhidas… até 2017.

Posted in 2016 / 2017, Calendário de Corridas, Uncategorized with tags , , , , , , , on 13 de Outubro de 2016 by José Pedro

As provas até ao final do ano já estão escolhidas:

Corrida das Castanhas

corridadascastanhas2016 

Nunca participei nesta corrida, mas já ando a pensar nela desde a primeira edição. Aparentemente tem um percurso desafiador que foge dos percursos muito batidos ao longo do rio e com uma descida final que só poderá ser aproveitada por quem ainda tiver pernas. Estou muito curioso nesta minha estreia.

Meia-Maratona do Descobrimentos

meiamaratonadosdescobrimentos_16

Esta prova já um clássico. Participei diversas vezes quando se realizava juntamente com a Maratona de Lisboa, o meu RP na distância foi obtido nesta prova em 2013, foi onde retomei as provas nesta distância depois de uma demorada lesão em 2015… digamos que é obrigatória no meu calendário. Tenho pena que este ano tenham retirado a subida no inicio da prova.

59º Grande Prémio de Natal

grandepremionatal2016

Desde 2012 que não participo nesta prova e nas únicas duas vezes que realizei tive um final insólito. Em 2009 a prova teve menos 400 metros e em 2012 a prova terminou a 200 metros da meta porque o sistema de classificação tinha avariado. Espero que este ano não aconteça nenhuma destes imprevistos. O principal motivo que me levou a voltar a esta prova foi ter reparado que o percurso é fora do eixo Algés / Belém / Cais do Sodré o que torna a prova bastante aliciante.

São Silvestre da Amadora

catarinaribeiro_ssamadora_h

Para terminar bem o ano tenho em mente ir à São Silvestre da Amadora que por incrível que possa parecer será uma estreia. Sempre ouvi dizer bem do percurso e que os habitantes da Amadora vêm em peso à rua para apoiar os atletas. Vamos ver se é desta que estarei na mais emblemática São Silvestre de Portugal.

3ª Corrida TSF Runners –

Posted in 2015 / 2016, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , , , on 19 de Maio de 2016 by José Pedro
Captura de Ecrã (57)

Percurso e Altimetria – Corrida TSF Runner 2016

Sábado participei pela segunda vez na corrida TSF Runner. Participei com plena consciência que não era um bom dia para tentar dar o meu máximo. Depois de uma semana mais cansativa que o normal, noites com poucas horas de sono, almoço tardio e nada indicado para quem vai correr, sabia que as probabilidades de correr como queria estavam contra mim.

No aquecimento notei que as pernas estavam presas e que sentia o estômago pesado. Fixei como objectivo fazer abaixo dos 50 minutos , ficando com um tempo sub 50 para apresentar em corridas com partidas por tempos.

Tendo o objectivo fixo, parti com o sentimento que teria que ficar com alguma margem no inicio para poder gerir no final de prova. Rapidamente o pelotão estendeu-se ao longo do percurso deixando espaço para meter o ritmo que mais me convinha. Um pouco mais à frente vinha o marcador dos 50 minutos, tentei estabilizar o ritmo e aos poucos fui-me aproximando. Pouco depois dos 3 quilómetros passei por ele e pelo enorme pelotão que o seguia, tentando manter o ritmo mais estável possível, mesmo tendo a noção que andava um pouco aos solavancos.

5 kms – 23:57 min.

Sentia as pernas cada vez mais cansadas e com mais dificuldade em manter o ritmo vivo. Depois do retorno e com o vento contrario as dificuldades foram aumentando. Tentei baixar um pouco o ritmo numa tentativa de recuperar energias, mas com o abastecimento o ritmo baixou mais do que pretendia. Aos poucos fui recuperando e quando pretendia fazer um ultimo quilómetro em crescente, senti um desarranjo intestinal que me forçou a diminuir o esforço e o ritmo. Terminei a corrida em esforço e com necessidade de resolver o meu desarranjo rapidamente.

Tempo Real: 49:14 min.

Tempo Oficial: 49:34 min.

Captura de Ecrã (58)

Fiquei com a sensação que se a prova tivesse sido no domingo de manhã teria feito melhor, com mais descanso e com uma refeição mais a condizer com o esforço que iria fazer.

A corrida foi muito bem organizada, teve dois abastecimentos e no final o escoar dos atletas foi bastante rápida. Pelo meu gps a corrida teve menos do que os 10 quilómetros, será algo a rever pela organização.

 

Meia-Maratona de Lisboa 2016 – Um treino diferente.

Posted in 2015 / 2016, As minhas corridas with tags , , , , , , , on 23 de Março de 2016 by José Pedro

1934485_495834570604262_8278431603991465541_n

A noite soube a pouco e após um bom pequeno almoço lá fui a caminho de mais uma participação na Meia-Maratona de Lisboa.

Encontrei-me com companheiros de ” batalhas ” anteriores e lá fomos em direcção à Ponte 25 de Abril para mais uma.

Não estando a fazer uma preparação a pensar nesta corrida, optei por encarala como um treino especial e sem grandes ambições em termos de tempo final. O objectivo era desfrutar o mais possível e terminar bem.

Não havendo possibilidades de fazer um aquecimento adequado, optei por fazer alguns alongamentos e aquecer as articulações enquanto esperava pelo tiro de partida.

À hora marcada foi dado o tiro de partida. Aproveitei os primeiros quilómetros para aquecer e sempre com imenso cuidado para não tropeçar em ninguém. Segui sempre nas pisadas de um dos meus companheiros e na descida para Alcântara o ritmo aumentou ligeiramente de uma forma natural.

5 km – 28:42 min.

Depois de uma ” luta titânica ” por uma garrafa de água no abastecimento, aproveitamos o terreno plano para meter um ritmo certo a rondar os 5:40 min./km que pretendíamos levar até à passagem pelo décimo quilómetro. Resistia à vontade do corpo em querer por um andamento mais vivo e mantive-me em modo de treino.

10 kms – 57:01 min.

Cada abastecimento era uma dor de cabeça para se conseguir sair ” vivo “. Como a confusão era sempre muita optei por saltar os abastecimentos intermédios e os que tinham bebidas energéticas onde a confusão era ainda maior. Como estava nos ” plano de corrida “, aumentamos ligeiramente o ritmo e estabilizamos nos 5:35 min./km sem problemas de maior.

15 kms – 1:25:04 h.

Sentindo-me bem. À passagem do quilómetro quinze troquei de posição com o meu companheiro de aventura e  passei a ser eu a ” lebre ” de serviço. O desgaste já se fazia sentir e os últimos quilómetros foram feitos mais rápidos mas sempre em gestão de esforço. Rapidamente tínhamos a reta da meta à nossa frente e ainda conseguimos meter a ” 5ª velocidade ” para terminar em grande estilo.

Tempo Real: 1:58:11 h

Tempo Oficial: 2:00:41 h

946754_495834657270920_344017458819703437_n

Esta corrida não vai deixar grandes saudades e só voltarei a participar se a inscrição cair do céu. O preço da prova é para ” estrangeiros “, a logística para chegar à ponte é enorme, a partida das duas provas ao mesmo tempo não tem lógica, os abastecimentos são uma enorme confusão ( as bebidas energéticas a copo e só numa mesa é de loucos ), o escoamento dos atletas que terminam a prova é muito lento e os brindes são uma amostra comparando com o que davam à uns anos atrás.

Valeu pelo companheirismo e por realizar um treino onde geralmente não posso fazer.

Fotos: Correr Lisboa

Captura de Ecrã (54)

Meia-Maratona dos Descobrimentos 2015 – Back to 21.1 km

Posted in 2015 / 2016, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , , on 9 de Dezembro de 2015 by José Pedro

Domingo marcou o meu regresso à Meia-maratona.

Cheguei cedo ao local de partida. Fui dar uma vista de olhos ao local de partida, local da meta e meter a conversa com alguns amigos nestas andanças.

Treinei com empenho para esta prova, mas tinha consciência que estava longe do meu melhor e que podia ter surpresas não muito agradáveis no decorrer da mesma. Perto da hora da partida resolvi acompanhar um amigo na sua conquista do seu melhor tempo da distância e tentar tirar o melhor gozo possível no meu regresso aos 21,1 quilómetros.

Depois de alguns alongamento e do respectivo aquecimento a ” Armada Invencível ” posicionou-se na linha de partida pronta para mais uma conquista.

Saímos do fundo do pelotão com um ritmo cauteloso. Enfrentamos a subida inicial calmamente e aproveitamos a descida preparar o corpo para o terreno plano que nos ia acompanhar até à meta. O imposto era estável e bastante calmo o que permitiu ir pondo a conversa em dia.

5 km – 28:54 min.

Quase se dar conta o ritmo foi aumentando, mas de uma forma consistente e gradual. Tive que deixar a conversa um pouco de lado e concentrar-me na corrida e na respiração, assim que deixamos o ritmo confortável e passamos para um um pouco mais exigente.

10 km – 56:19 min.

O ritmo continuava a aumentar, corpo ia respondendo bem e grande parte da ” Armada ” continuava junta na obtenção de um bom tempo. O empedrado entre os Cais do Sodré e a Praça do Comercia fazia miséria, mesmo assim consegui não baixar o ritmo e não perder contacto com o grupo que estava empenhado num bom desempenho.

15 Km – 1:22:12 h

Na passagem pelo abastecimento perdi ligeiramente o contacto com o grupo. Estabilizei o ritmo e segui poucos metros mais atrás na esperança de mais tarde conseguir alcançar. Aos 18 km vi o que restava da ” Armada ” afastar-se aos poucos e poucos. Numa tentativa de não os perder de vista fui buscar algumas reservas de energia e acelerai o passo. Mesmo assim a ” Armada ” continuava a fugir. Cheguei à conclusão que dificilmente conseguiria colar-me novamente a eles, decidi baixar um pouco o ritmo e ganhar forçar para os últimos momentos da prova. À passagem pelos 20 km voltei a impor um ritmo mais forte e até chegar à meta foi sempre em crescente.

Tempo Real: 1:53:56 h

Tempo Oficial: 1:55:47 h

Captura de Ecrã (22)

Posso dizer que o meu regresso à distância correu bastante bem, mesmo estando muito longe da forma que me levou a bater o meu RP nesta mesma prova à 2 anos, não deixando de lado que vários elementos da ” Armada ” conseguiram alcançar os seus novos RP´s da distância.

Page1

 

II Meia Maratona dos Descobrimentos 2014 – Inscrições Abertas!

Posted in 2014/2015, Calendário de Corridas with tags , , , , on 9 de Outubro de 2014 by José Pedro

Meia Maratona dos Descobrimentos

Pela 2ª vez vai-se realizar a Meia Maratona dos Descobrimentos, que antigamente era a Maratona de Lisboa.

Vai-se realizar no dia 7 de dezembro de 2014, sendo a partida dos 10 kms às 9:30 h, da Meia Maratona às 10:00 e da caminhada às 10:10 h.

Informações e inscrições:

http://www.meiamaratonadosdescobrimentos.com/pt/home.html

Meia-Maratona dos Descobrimentos 2013 – caiu um RP com mais de 3 anos

Posted in 2013/2014, As minhas corridas, Melhores tempos. with tags , , , , on 9 de Dezembro de 2013 by José Pedro

Domingo foi dia de meia-maratona! Levantei-me cedo e deu logo para ver que ia ser uma manhã bastante fria. Lá fora estava nevoeiro que não deixava o sol aquecer o corpo e o frio fazia-se sentir com bastante intensidade (1,5º C).

Cheguei cedo a Belém, preparei-me calmamente e fui ter com  o Vital, outro companheiro destas andanças.  Depois de um bom e demorado aquecimento, posicionamo-nos na linha de partida prontos para mais uma corrida.

Tentei iníciar a prova com um ritmo calmo e confortavel. Logo na subida para o Restelo, perdi a companhia do Vital. O ritmo dele era mais vivo e pretendia resguardar-me. Fiz os primeiros 2 kms sem grande esforço e aproveitei a descida para aumentar o ritmo e estabilizar assim que chegasse ao terreno plano. O corpo já estava quente e as pernas iam respondendo bem ao esforço pedido.

5 km: 24:07 min.

Os primeiros 5 kms foram feitos tranquilamente e com o ritmo constante. Avistei o Vital a uns 150 metros mais à frente e fiz um esforço suplementar para o alcançar. Progressivamente fui-me aproximando até que o consegui estar na sua companhia. Ia tentar manter-me com ele o máximo tempo possivel já que o ritmo em que ele se encontrava era certo e podia-me levar a fazer um bom tempo.

10 kms: 47:18 min.

À passagem dos 10 kms verifiquei que estava a ganhar um minuto e meio ao meu anterior RP. Secretamente sabia que podia bater a minha marca anterior, mas tentei afastar essa ideia do pensamento. Ainda faltava mais de meia prova e muita coisa podia acontecer. Fui-me mantendo na companhia do Vital até à Ribeira das Naus. Assim que apanhei  o empedrado, o meu ritmo baixou, perdi o contacto e fiquei novamente a 100 metros atrás dele. Recuperei o ritmo e tentei nunca o perder de vista na esperança de o poder alcançar mais tarde. Depois do retorno, voltamos a apanhar o empedrado e novamente o meu ritmo baixou. Já foi mais difícil recuperar e perdi definitivamente o Vital de vista. A partir de agora estaria unicamente por minha conta.

15 kms: 1:11:18 min.

Aos 15 kms estava a ganhar mais de dois minutos ao meu antigo RP. Agora sabia que ele estava ao meu alcance e que dificilmente me ia escapar. A motivação estava em alta e as pernas iam respondendo bem. A partir dos 17 kms comecei a sentir o desgaste. Num esforço para não baixar o ritmo, fui tentando apanhar boleia de outros atletas que passavam por mim com um ritmo muito idêntico ao meu. Foi quase missão impossivel, não consegui sair do registo em que me encontrava e fiquei apenas preocupado em manter-me bem e evitar uma quebra abruta. O ritmo foi sempre certinho e apenas aumentou quando entrei na recta da meta para o sprint final.

Tempo oficial: 1:41:00 h.

Tempo Real: 1:40:18 h.

Fique bastante contente por finalmente o tempo da meia-maratona que já tinha mais de 3 anos ter caido por terra e por mais de dois minutos e meio. Sempre me dei bem com o frio e domingo estava em dia sim!