Arquivo de 15 kms

Corrida das Fogueiras 2018 – I love Peniche.

Posted in 2017 / 2018, As minhas corridas with tags , , on 4 de Julho de 2018 by José Pedro

Captura de Ecrã (3)

Pela terceira vez participei na famosa corrida de Peniche. Tinha em mente fazer um bom resultado, mas depois de alguns treinos menos bem sucedidos a confiança não estava no seu melhor.

Depois de deambular pela cidade a sentir o ambiente, fui-me equipar e fazer um ligeiro aquecimento.

Coloquei-me na linha de partida e quando foi dado o tiro de partida sai calmamente sem me meter em confusões. Rapidamente imprimi um ritmo confortável e vivo, mas passado pouco tempo o percurso ficou mais estreito e o ritmo baixou ligeiramente. Não me queria meter no desgastante zig-zag e deixei-me ir no ritmo do pelotão. Aos poucos o espaço foi aparecendo e aproveitei para meter um ritmo mais animado. O regresso à cidade marcou o inicio das subidas, mesmo que ligeiras.

5 km: 24:45 min.

Depois percorrer algumas artérias da cidade, a verdadeira corrida das fogueiras iria começar ao chegar à marginal. O sobe e desce constante, apimentada com um vento de norte trazia algumas dificuldades. Como o corpo estava a reagir bem, o ritmo estava vivo e dentro dos meus objectivos.

10 km: 49:04 min.

Logo a seguir ao abastecimento apareceu a subido mais complicada da noite. Não é muito íngreme, mas é um pouco longa e com o vento de frente, não foi nada fácil. Ultrapassada esta dificuldade, recuperei o fôlego, refresquei com a chuva que caia e tentei embalar para a meta. O ritmo foi aumentando naturalmente até ao ultimo quilómetro. Ao entrar novamente na vila, as forças começaram a faltar e o empedrado escorregadio da chuva obrigaram-me a ter cauteloso. O objectivo estava cumprido e só queria terminar bem.

Tempo Real: 1:14:09 h

Tempo Oficial: 1:14:50 h.

Na minha opinião esta é uma das melhores provas Portuguesas, tanto pela organização como pelo ambiente. Pessoalmente correu-me bastante bem, tendo feito o melhor tempo nesta corrida.

 

Anúncios

Corrida das Fogueiras 2016 – obrigado Peniche.

Posted in 2015 / 2016, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , on 27 de Junho de 2016 by José Pedro

Seis anos após a minha primeira e única participação na Corrida das Fogueiras, estava de volta a Peniche. Cheguei cedo para não ter nenhum stress a estacionar o carro nem a ir buscar o dorsal. Juntei-me a alguns amigos ” viciados ” e até quarenta e cinco minutos antes da corrida tivemos a ver o jogo Portugal – Croácia, aproveitando esse tempo para meter um ultimo ” combustível ” antes da corrida.

Deixei o futebol e fui equipar-me, fazer um ligeiro aquecimento e cinco minutos antes da partida fui para o meu lugar. Lembrando-me que o percurso é tudo menos plano e não tenho andado muito forte a enfrentar as subidas, decidi que a estratégia a seguir seria conter-me nas subidas e tentar recuperar nas descidas.

PercursoCorridadasFogueiras

Percurso da Corrida das Fogueiras

À hora marcada foi dada a partida. Graças ao sistema da partida por tempos, rapidamente meti-me no ritmo que mais me convinha, tendo que abrandar passados dois quilómetros. A estrada disponível para os atletas estreitou e não quis cair na tentação de fazer o desgastante zig zag. Assim que tive um pouco de espaço tentei acelerar ligeiramente o ritmo até encontrar a primeira dificuldade: ao pé do porto de pesca o chão é em paralelos e logo a seguir existe uma ligeira subida.

5 km: 25:14 min.

Fizemos mais um quilómetro e meio dentro da vila e logo de seguida pode-se dizer que começa a verdadeira Corrida das Fogueiras: iniciava-se um carrossel de sobe e desce iluminado por inúmeras fogueiras. Enfrentei as primeiras subidas com calculismo. Abrandava propositadamente um pouco o ritmo e conseguia ultrapassar esses obstáculos sem grande dificuldade, podendo assim aproveitar da melhor maneira as descidas para recuperar energias e meter um ritmo mais vivo.

10 km: 50:41 min.

Logo após o abastecimento dos dez quilómetros apareceu uma subida que me pós em sentido. Senti algumas dificuldades para manter o ritmo sem esforço e demorei mais tempo a recuperar o esforço. Voltei novamente a aumentar o ritmo, mas já de uma forma mais lenta e quando chego à ultima grande subida dos treze quilómetros, começo a sofrer por antecipação. Baixei o ritmo na descida e tentei não perder a embalagem na subida. Assim que cheguei ao final da subida, tentei embalar até à meta empurrado pelo publico que estava a assistir à corrida. ainda tive forças para cumprimentar alguns miúdos que esticavam a mão e terminei mais uma corrida com sentimento de dever cumprido.

Tempo Real: 1:16:46 h

Tempo Oficial: 1:17:30 h

AltimetriaCorridaFogueiras

Altimetria

Foi uma prova para o qual preparei-me com alguns cuidados devido às dificuldades que apresenta. A grande mais valia é a população de Peniche que sai à rua para apoiar e incentivar os atletas, algo que é raro em Portugal.

diplomaCorridadasFogueiras

Em termos de organização, na corrida foi tudo muito bem planeado, mas têm que repensar a sardinhada no final. Nem sequer tentei ir sabendo que a confusão é mais que muita, mas conheço pessoas que ficaram na primeira metade da classificação da corrida que já não conseguiram chegar a tempo de ter direito a sardinhas.

Chegada à meta no minuto 28:36.

Corrida dos Sinos 2016 – o meu primeiro sino.

Posted in 2015 / 2016, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , , on 7 de Abril de 2016 by José Pedro
Corrida dos Sinos altimetria percurso

Corrida dos Sinos – Percurso e altimetria.

Por muito que custe a acreditar, esta foi a minha primeira participação na famosa Corrida dos Sinos.

Já tinha ouvido falar muito bem da corrida, da organização e da dureza de mesma. Numa semana em que o corpo ainda se ressentia de uma forte gripe que me atacou no fim de semana anterior, não ia com grandes expectativas de um bom resultado, mas sim de conhecer o percurso para novas participações e principalmente divertir-me.

Sai com bastante calma. Os primeiros dois quilómetros foram feitos em ritmo moderado tendo em conta que é quase sempre a subir, o grande numero de participantes e o empedrado que é uma constante dentro de Mafra. À passagem pelo quartel militar começou a haver um pouco mais de espaço, o piso melhorou e com o desnível do terreno favorável aumentei um pouco a cadência, tentando ir  confortável sem grandes esforços.

5 km – 26:06 min.

O percurso entrava numa fase de sobe e desce até aos seis quilómetros. A partir daí até aos oito quilómetros e meio seria sempre a descer. Continuei num ritmo controlado, o retorno não ia ser fácil e tentei poupar o máximo de energia possível para enfrentar a longa subida de volta a Mafra. Ataquei a subida até de uma forma que me surpreendeu, ritmo certo e bastante vivo, mas seria por pouco tempo.

10 km – 51:42 min.

Durante o abastecimento baixei imenso o ritmo e já não consegui retomar. Meti o ritmo possível para recuperar o fôlego e enfrentar o resto da subida. Quando pensava que o pior já tinha passado, aparece mais uma ” parede ” aos treze quilómetros e meio. Meti o ” piloto automático ” para enfrentar mais esta dificuldade e quando terminou deixei-me ir até à linha de meta.

Tempo Real: 1:20:49 h

Tempo oficial: 1:21:57 h

Gostei imenso da prova, grande ambiente, boa organização e um percurso desafiante. Fiquei com o ” bichinho ” desta corrida e para o ano quero desforra!

Corrida das Lezírias 2016 – Estreia.

Posted in 2015 / 2016, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , on 7 de Março de 2016 by José Pedro

 

CorridaLezírias2016

CorridaLezírias2016-1

Depois de muitos anos a ouvir falar da ” Corrida das Lezírias ” e por diversos motivos nunca ter participado, resolvi que seria em 2016 a minha estreia.

Não conhecendo o percurso tentei saber através de amigos corredores quais seriam as principais dificuldades e qual seria a melhor maneira de gerir o esforço durante a prova. Todos salientaram que a subida de ponte era a principal dificuldade e que o resto do percurso era plano sem dificuldades de maior. Depois descobri por experiência própria que não era assim tão simples.

Tentei sair calmante, evitando sempre que possível o tentador zig-zag por entre atletas mais lentos e tomando precaução em relação ao piso de paralelos. Enfrentei a subida da ponte com um ritmo certinho e na descida tentei embalar um pouco e apanhar um ritmo mais vivo. Assim que saímos da ponte entramos logo nas Lezírias Ribatejanas. O piso macio, ligeiramente a descer facilitava os ritmos mais vivos e deixei-me embalar por breves instantes até me aperceber que o melhor seria conter-me um pouco.

5 km – 24:39 min.

Vinha bastante confortável no meu ritmo, mas o piso a partir dos sexto quilómetro começou a mudar. Os corredores começaram a procurar as zonas sem pedras no trilho e que levou a uma diminuição do ritmo, dificultava as ultrapassagens e tínhamos que ter os olhos fixos no chão. Com o passar dos quilómetros o piso foi ficando mais deteriorado com marcas dos animais que passam na zona. A maioria dos atletas optou por seguir nos trilhos feitos pelos carros e naturalmente formamos uma longa fila indiana. Deixei-me ir ao ritmo dos companheiros da frente, não tirando os olhos do chão para não correr riscos de por uma pé mal posto.

10 kms – 49:36 min.

O piso gradualmente foi melhorando, mas continuava a obrigar a ir em fila indiana. Tentei aproveitar bem o abastecimento dos 11,5 quilómetros para recuperar forças, mas quando tive que enfrentar novamente a subida da ponte tive que me por em ” piloto automático ” e deixar-me ir. A subida foi dura e quando apareceu a descida respirei fundo, recuperei forças para tentar meter novamente um ritmo mais vivo. Esse objectivo foi alcançado até aparecer novamente os paralelos. Sendo o meu ponto fraco, baixei novamente o ritmo e ia fazendo uma gestão do esforço conforme tinha o piso mais ou menos regular.

15 kms – 1:16:22 h.

Sendo os últimos 500 metros em piso regular, aproveitei para num derradeiro esforço dar um pouco mais de mim e terminar a prova em grande.

Tempo Real: 1:18:15 h

Tempo Oficial: 1:19:09 h.

CorridaLezírias

Gostei imenso da prova, bom ambiente, percurso interessante e bem organizada. Só tive pena de o piso ser bastante irregular na Lezíria o que não permitia usufruir da paisagem como ela merecia.

Captura de Ecrã (8)

Fotos: aminhacorrida.com

 

Corrida Internacional 1º de Maio 2013

Posted in 2012/2013, As minhas corridas, Melhores tempos. with tags , , , on 2 de Maio de 2013 by José Pedro

Corrida1Maio

Pela 2ª vez participei na Corrida Internacional do 1º de Maio.

Sai cedo de casa, fui levantar o dorsal e dei uma volta pelo Estádio para ver o ambiente. Enquanto passeava calmamente, veio à memória a minha primeira e unica maratona que começava e terminava naquele mesmo local. Ando cheio de vontade de repetir a “gracinha”.

Com o aproximar da hora da partida, fui-me equipar, alongar e aquecer um pouco os músculos. Enquanto estava no aquecimento tentava perceber como me sentia fisícamente, que estratégia ia ter tendo em conta que ainda sentia o desgaste de Cascais e a dureza da parte final da corrida. Fui para a linha de partida, meti-me no fundo do pelotão e decidi que os primeiros 2/3 kms iriam decidir como iria ser a resto da corrida.

Foi dado o tiro de partida. ainda não tinha cruzado a linha de partida e já os primeiros atletas estavam a sair do estádio. Tendo tantos atletas à minha frente, sai calmante para tentar perceber qual seria a melhor maneira de entrentar os 15 kms que tinha pela frente. Os primeiros 2 kms forma muito relaxados, mas depois senti as pernas a puxar e rápidamente estava a  fazer 4:40 min./km de uma forma natural.

5 kms: 24:14 min.

Sentia-me bem e cheio de força. Assim que cheguei ao Saldanha embalei ainda mais na descida vertiginosa até à Praça do Comercio um ritmo a rondar os 4:30 min./km. Como tudo o que desce tem que se subir, ao entrar na Rua da Prata, iniciou-se uma subida de 4 kms até ao Areeiro. Tentei manter o mesmo ritmo da descida e na fase ínicial da subida ainda fui conseguindo, mesmo com algum esforço,

10 kms: 46:45 min. 

À passagem pelo 10º km senti o ritmo a baixar. A inclinação era mais acêntuada, as forças já não eram as mesmas e a minha preocupação foi não perder muito tempo mas também não me desgastar em demasia. Lutei para manter o ritmo constante durante o que restava da subida mesmo sendo um pouco complicado devida à inclinação na parte final entre a Alameda e o Areeiro. Assim que acabou tão dura dificuldade, respirei um pouco e tentei novamente meter um ritmo mais vivo. Forçei um pouco mais nos últimos 2 kms. A meta estava mesmo ali e não queria perder a oportunidade de terminar com um bom tempo. Entrei no estádio e olhei para o relógio, ia mesmo conseguir fazer um bom tempo a nível pessoal em tão dura corrida.

Tempo Real: 1:09:45 h.

Tempo Oficial: 1:10:00 h.

Caíu o meu RP da distância que já durava à 3 anos. Consegui fazer o que nunca pensei ser possivel, dois RP em uma semana e meia.

Corrida 1º de Maio 2013

Posted in 2012/2013, Calendário de Corridas with tags , , , , on 18 de Abril de 2013 by José Pedro

corrida1maio

Realiza-se no dia 1 de Maio ás 10 horas, com um percurso de 15 km, com partida e chegada ao estádio do Inatel.

altimetriacorrida1maio

Informações e inscrições:

http://www.corrida1maiocgtplisboa.com/1maio/

Fonte das Imagens:

http://runganfasrun.wordpress.com/