Archive for the Curiosidades sobre corridas. Category

Treino de um maratonista de elite

Posted in 2014/2015, Curiosidades sobre corridas., Noticias with tags , , on 25 de Setembro de 2014 by José Pedro

wilson kipsang

Já tiveste curiosidade de saber qual o plano de treinos de um maratonista de elite? Fica aqui uma pequena ideia do treino da semana passada do recordista mundial Wilson Kipsang.

Não nos podemos esquecer que todos os treinos são realizados em altitude.

Segunda – 18km a 3:30/km (ou mais rápido). É uma rodagem em ritmo moderado.
À tarde: 40min de trote (e quenianos costumam trotar bem de leve)

Terça – 10x1km a 2:50 (ou mais rápido). É o ritmo de meia maratona dele, o ritmo que ele consegue sustentar por 1h.

Quarta – 1h10min trote (quase 16km, cerca de 4:20/km)

À tarde – musculação

Quinta – Fartlek – 20 x 2min forte, 1min fraco

À tarde – 50min trote

Sexta – 1h trote (4min/km)

À tarde – musculação

Sábado – 35km em 1h54min (cerca de 3:15/km)

Domingo – descanso

 

Fonte: Runner´s World Brasil

Anúncios

Percurso da Maratona de Paris

Posted in 2013/2014, Curiosidades sobre corridas. with tags , , on 17 de Fevereiro de 2014 by José Pedro
Maratona de Paris: uma das mais belas maratonas, com uma grande adesão de atletas e espectadores.
 A primeira edição em 1896, com  191  corredores que percorreram a distância de 40 km que ligava Paris a Conflans.
Este ano é esperado ter mais de 40.000 participantes e 200.000 espectadores.
 Espero um dia poder sentir Paris na pele de um corredor da maratona.
Fica aqui um vídeo com o percurso para ” abrir o apetite”.

Asics Pace Color – os ténis que mudam de cor!

Posted in 2013/2014, Curiosidades sobre corridas., Gadgets with tags , , , on 26 de Julho de 2013 by José Pedro

Já ouviste falar nos Asics Pace Color.

A marca japonesa Asics apresentou um projeto que usa as cores para mostrar o desempenho dos corredores, chamado Pacecolor.  Eles criaram uns ténis especiais que mudam de cor conforme o desempenho do atleta. Pode~se ver o desempenho através de três cores: vermelho, amarelo e verde.

Para fazer mudar a cor, é utilizado um sensor com GPS que mede o ritmo dos ultimos cinco quilometros de corrida. A cor vermelha indica uma velocidade média  até 10 km/h; a cor amarela entre os 10 e os 15 km/h; e a cor verde  acima da velocidade média de 15 km/h.

Sempre quis ter um par de tenis que muda-se de cor, finalmente descobri uns à minha medida.

Conheces o Iram Leon?

Posted in 2012/2013, Curiosidades sobre corridas., Noticias with tags , , , on 18 de Março de 2013 by José Pedro

IramLeon

Iram Leon tem 32 anos e um cancro terminal no cérebro. Mas isso não o impediu de vencer a maratona «2013 Gusher Marathon», no Texas… tudo enquanto empurrava um carrinho onde transportava a sua filha de seis anos.

Leon bateu o segundo classificado por uma margem de seis minutos, tendo precisado de 3:07:36 horas para cumprir o trajecto.

Para o homem, o verdadeiro vencedor da maratona foi a sua filha.

«Estou aqui, dorido, a reflectir e [sentir-me] grato… ainda não acredito que venci uma maratona. Bem, cheguei em segundo lugar, atrás da [minha filha] Kiana», brincou.

«As pessoas não deviam esperar para viver a sério até lhes dizerem que vão morrer», afirmou Leon. «Vão para casa e abracem alguém, e não esperem que vos digam que têm uma doença terminal. Corri a minha vida inteira, e fui tolo o suficiente para esperar até que me dissessem que ia morrer para correr com a minha filha», reconheceu.

Fonte: http://diariodigital.sapo.pt/

Para quando os abastecimentos com cerveja?

Posted in 2012/2013, Curiosidades sobre corridas. with tags , , , , , on 7 de Setembro de 2012 by José Pedro

O investigador Manuel Castillo, da Universidade de Granada, publicou os resultados de um estudo que consistiu em medir a reacção do corpo à ingestão de água ou cerveja após a realização de esforço físico intenso e a conclusão foi  que uma quantidade moderada de cerveja  hidrata  após o exercício. Beber uma “loira”  seria “a mesma coisa que beber água”, por isso é recomendado o consumo da bebida fermentada a todas as pessoas que não tenham nenhuma contra-indicação.

Agora só resta substituir a á gua nos abastecimentos por cerveja!

Bebidas desportivas mais eficazes do que água

Posted in 2012/2013, Curiosidades sobre corridas., Dicas, Treino with tags , , , , on 3 de Setembro de 2012 by José Pedro

A ingestão de bebidas desportivas proporciona um maior rendimento aos atletas.

Um estudo realizado pela Universidade de Loughborough (Reino Unido), recentemente publicado na Nutrition Bulletin da British Nutrition Foundation, revela que a ingestão de bebidas desportivas com uma adequada composição de hidratos de carbono e electrólitosproporciona um maior rendimento aos atletas,quando comparada com a água.

Segundo os investigadores, ingerir água é melhor do que não beber nada, no entanto defendem que, em exercícios onde a resistência é a tónica dominante, as bebidas desportivas são a melhor opção. Em concreto, existem provas de que estas melhoram a performance em maior medida do que a água.

De acordo com o artigo “Hydration in sport and exercise: water, sports drinks and other drinks”, publicado na edição 34 da Nutrition Bulletin, os principais objectivos para o consumo de bebidas desportivas são acelerar a hidratação, estimular a absorção de líquidos, fornecer hidratos de carbono aos músculos e potenciar a recuperação após o exercício.

A investigação confirma também a veracidade de estudos anteriormente realizados sobre a hidratação dos desportistas após a prática desportiva, em concreto sobre a importância de ingerir tanto um adequado volume de líquidos (em maior quantidade do que o volume de fluidos perdidos através do suor), como uma adequada quantidade de sódio. De acordo com este estudo, sem a ingestão de líquidos e de sódio, a hidratação não será rápida, completa ou mantida ao longo do tempo.

Assim, os investigadores apontam a necessidade de incluir sódio nos líquidos ingeridos pelos desportistas e salientam a importância dos desportistas estarem bem hidratados antes da prática desportiva, tal como indicado no documento de consenso do Comité Olímpico Internacional de 2004.

Outro aspecto importante referido pelo estudo é o sabor das bebidas desportivas: os atletas que precisam de ingerir grandes quantidades de líquidos, para compensarem o que perdem quando suam, fazem-no mais facilmente se o sabor da bebida for agradável.

Concluindo, beber água é melhor do que não ingerir qualquer líquido, mas a ingestão de bebidas desportivas permite a rápida reposição de electrólitos e de líquidos no organismo, o que proporciona um maior rendimento dos atletas.

Ao mesmo tempo, as bebidas que contêm electrólitos e hidratos de carbono previnem a desidratação e ajudam a manter o equilíbrio de sais minerais no corpo. Quando tal não acontece, a probabilidade de surgirem cãibras musculares, dores de cabeça, fadiga excessiva, náuseas, vómitos, diarreia e, em casos extremos, convulsões, é superior.

O que são bebidas desportivas?

De acordo com o documento “Food, Nutrition and Sports”, uma publicação do Consejo Superior de Deportes (Espanha), as bebidas desportivas são especialmente concebidas para pessoas que se submetem a um intenso esforço físico, com grande desgaste sobre os músculos.

Estas bebidas têm uma composição específica, que permite atingir uma rápida absorção de líquidos e electrólitos e previnem a fadiga. Cumprem três objectivos fundamentais: fornecem hidratos de carbono, restabelecem os electrólitos perdidos com o suor (principalmente sódio) e repõem os níveis necessários de líquidos para evitar a desidratação.

O sódio é o electrólito que os atletas perdem em maior quantidade quando suam. Quando adicionado às bebidas desportivas, desempenha três funções: melhora a absorção de líquidos pelo organismo, mantém o estímulo da sede e ajuda na reserva de líquidos. O sódio também acelera a absorção de hidratos de carbono e melhora o sabor das bebidas.

Os hidratos de carbono presentes nas bebidas desportivas fornecem energia aos músculos e atrasam a fadiga, especialmente em exercícios de longa duração. Também ajudam na rápida absorção de líquidos e electrólitos.

Fonte: ZonaDesportista

Música para correr mais longe

Posted in 2012/2013, Curiosidades sobre corridas., Dicas, Noticias with tags on 21 de Agosto de 2012 by José Pedro

Em 2007, a comissão organizadora da maratona de Nova Iorque proibiu o uso de música durante a prova e centenas de corredores uniram-se na desobediência, arriscando a desqualificação do evento. Do outro lado do Atlântico, na meia maratona de Londres, músicos tocavam ao vivo ao longo do percurso na iniciativa “Run to the Beat”. Porque será a música tão importante para estes corredores? Como pode usar a música a seu favor na corrida?

Há quem corra enquanto conversa com um amigo ou se reúne com um colega, alguns fazem-no enquanto meditam e muitos enquanto ouvem música. Os leitores portáteis de música evoluíram bastante desde os walkmen até aos leitores de mp4 que se encontram hoje no mercado, o que permitiu a facilidade e generalização do seu uso. Na verdade, a música está presente em muitos momentos da vida e representa um estímulo acrescido para o deleite dos corredores.

A noção de escape associada à música pode ampliar o efeito meditativo e de redução do stress durante o jogging ou a corrida e julga-se que será esse um forte motivo para a sua utilização. A música tem um efeito benéfico no exercício pela sua capacidade de captar a atenção do ouvinte e aumento do trabalho produzido, especialmente em movimentos rítmicos como a corrida. Para além do ritmo, também a musicalidade, o impacto cultural e a associação a outras experiências são factores importantes no aumento das sensações positivas, da dissociação da dor e fadiga, bem como na redução da percepção de esforço. A música é por isso um elemento motivador que pode levar a aumentos da intensidade e/ou duração em exercício autorregulado. A curto prazo, resulta habitualmente em níveis de resistência, potência, produtividade ou força acima do esperado. A longo prazo pode resultar numa maior fidelização ao hábito do exercício pelo prazer obtido durante o mesmo.

Como o cérebro possui uma limitada capacidade de processamento de informação, o estímulo auditivo da música impede a chegada de feedbacksensorial associado à fadiga física. Esta concorrência ocorre até níveis de intensidade elevados, altura em que as sensações de fadiga parecem ter dominância sobre a música. A música provoca também uma resposta emocional, que pode ser causada por alguma memória associada a essa faixa, por empatia com o sentimento expresso pelo cantor ou pela letra. Alguns estudos realizados sugerem um efeito da música no aumento da presença no momento (“flow”), que é um dos expoentes da motivação intrínseca na atividade. Outro aspecto interessante é que o efeito da música parece ser ampliado quando a seleção do exercício e da playlist é realizada pelo próprio e não imposta.

A busca da música perfeita para correr tem motivado acesso debate. Alguns acreditam que é uma questão de gosto pessoal, enquanto outros defendem que a escolha de músicas para correr nem sempre tem de ser consistente com o gosto musical do praticante.

Finalmente, alguns conselhos para escolher a playlist para a corrida neste verão:

• Escolher uma grande variedade de música conhecida que tenha ritmo forte e enérgico, letras positivas e eventuais associações com desporto.
• As primeiras músicas não devem ser particularmente rápidas (80 a 130 bpm) para dar tempo para o aquecimento.
• Depois do aquecimento, escolher um ritmo concordante com a intensidade do exercício e as variações na frequência cardíaca, entre os 125 a 140bpm.
• Escolher um tempo total da playlist um pouco mais longo do que o tempo habitual de corrida.
• As músicas devem transmitir boas sensações ou recordações e as melhores músicas devem ser colocadas a partir da 4ª posição e alternadas.
• Incluir algumas músicas que são reservadas exclusivamente para ouvir durante a corrida.
• Actualizar regularmente algumas músicas na playlist, considerando cada corrida um teste à sua eficácia.

Algumas notas de precaução:
• Em certas condições, a música pode desviar a atenção de informação importante como a presença de carros na estrada ou tráfego em geral.
• O uso regular da música leva a uma dessensibilização e perda do seu efeito.
• O volume demasiado alto pode danificar as estruturas do ouvido interno.

Para os que sempre amaram correr, mas também para os que se iniciam neste momento, a corrida pode ganhar um novo colorido com uns headphonescolocados no ouvido!

*Fisiologista do Exercício e Personal Trainer

Fonte: Jornal “Público”