Archive for the 2016 / 2017 Category

Balanço da época 2016 / 2017.

Posted in 2016 / 2017, Uncategorized with tags on 25 de Julho de 2017 by José Pedro

6-ban-running-shoes-for-women

Nos últimos anos tenho tido épocas um pouco atípicas se tivermos em consideração anos anteriores. Se dantes centrava-me em provas acima dos 10 quilómetros, agora ando muito em provas dessa distância ou abaixo.

Muito se deve às lesões que tenho tido, ao meu desagrado no preço de determinadas  provas que me levou a ir para provas mais baratas e à logística de algumas que é imensa.

Este ano tive uma recaída de uma lesão antiga o que me levou a abdicar de duas provas e terminar a época com provas mais curtas.

O lado positivo da época é que ganhei um pouco mais de consistência, velocidade (perdi imensa com a lesão de 2014) e ganhei confiança para voltar a participar na maratona.

Provas da época:

3 km: 2

10 km: 6

15 km: 0

20 km: 0

Meia-Maratona: 1

Maratona: 0

Os objectivos para a nova época são tentar não ter nenhuma lesão, participar na maratona do Porto e ganhar mais consistência nas provas acima dos 10 km.

 

XI Memorial Francisco Lázaro 2017 – I Feel Good.

Posted in 2016 / 2017, As minhas corridas with tags , , on 14 de Julho de 2017 by José Pedro

Francisco Lazaro

Domingo foi dia de mais uma participação do Memorial Francisco Lázaro na freguesia de Benfica.

Sabendo das dificuldades do percurso e do desconhecimento do meu actual estado físico, resolvi ter uma abordagem cautelosa à prova. Felizmente o São Pedro foi meu amigo e resolveu oferecer um dia fresco, considerando que já estamos em Julho.

Meti-me na cauda do pelotão e parti para a prova com um ritmo moderado um pouco acima dos 5:00 min./km. Logo no final do segundo quilómetro veio uma subida de respeito. Tentei manter um ritmo confortável que não comprometesse a restante prova. Assim que apanhei um percurso mais plano, tentei recuperar o fôlego e fui aumentando gradualmente o ritmo. A partir dos quatro quilómetros o terreno ia ligeiramente inclinando, mas a partir dos 4,8 kms a “parede” tornou-se complicada e entrei novamente em modo de “piloto automático”.

5 km – 25:47 min.

A subida continuava e logo após o abastecimento tivemos o retorno. Sabendo que as dificuldades que tive na primeira parte do percurso iam-se transformar em facilidades, refresquei-me, ganhei energia e iria atacar a segunda parte da prova com força. O ritmo ia aumentando gradualmente e sentia-me bastante confortável. Por volta dos 8,2 km ultrapassei a ultima grande dificuldade do percurso e tentei ir no limite até à meta. Noa ultimos 500 metros perdi um pouco o ritmo, mas o objectivo para esta prova foi largamente suplantado.

Tempo Oficial: 48:27 min.

Tempo Real: 48:15 min.

Francisco Lázaro 2017

Sei que uma prova de 10 kms não é termo de comparação com a maratona, mas que me deixou mais confiante para iniciar a minha preparação para a Maratona do Porto, deixou!

6ª Corrida ” 10 kms Bucelas Capital do Arinto – regresso ao vicio.

Posted in 2016 / 2017, Uncategorized on 23 de Maio de 2017 by José Pedro

Corrida Arinto Bucelas

Depois de ter recuperado de uma lesão e de ter só um mês de treinos, resolvi voltar a Bucelas para mais uma prova. Sabia que o percurso tem alguma dureza, mas como sempre gostei deste percurso resolvi arriscar o meu regresso nesta prova.

CorridaArinto2017

Meti-me na parte de trás do pelotão e fui dos últimos a passar a linha de partida e a dar inicio à competição. Os primeiros dois quilómetros feitos em circuito dentro da vila foram ultrapassados a um ritmo calmo. Mas assim que fomos em direcção à Vila de Rei, o corpo pedia um pouco mais de energia e o ritmo foi aumentando gradualmente. Tentei estabilizar o ritmo nos 5:10 min./km até chegar à primeira grande subida. Imprimi um ritmo de gestão para aguentar os 400 metros de subida e na descida tentei recuperar um pouco o fôlego. Assim que cheguei ao terreno plano voltei a imprimir o ritmo que tinha antes da subida.

5 Km – 26:48 min.

Novamente em direcção a Bucelas sentia o corpo com vontade de puxar, mas tive que me conter sabendo que ainda havia uma segunda subida que metia respeito. Já em direcção à Bemposta o andamento andava bastante certo até chegar à segunda subida com 500 metros. Desta vez já tive mais dificuldades. Geri da melhor maneira a situação e quando comecei a descer deixei-me ir em ” piloto automático ” para recuperar alguma energia. O últimos dois quilómetros foram feitos em bom ritmo e terminei esta dura prova cheio de energia.

10 Km – 53:17 min.

Altimetria Corrida Bucelas

Challenge 3000 Oz Energia -faltou energia.

Posted in 2016 / 2017, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , , on 6 de Março de 2017 by José Pedro

16996365_10212236013481169_3667011418393168985_n

Pela segunda vez participei no ” Challenge 3000 “. Se na primeira vez foi para experimentar a sensação de correr em pista, à segunda pretendia fazer melhor na participação anterior.

Como me sentia cansado de umas semanas de treinos mais intensas, sabia que a missão de fazer melhor seria bastante complicado, mas nada me iria impedir de tentar.

Ao tiro de partida até consegui partir rápido. Nas centenas de metros a seguir tentei estabilizar o ritmo, mas estava difícil e sentia as pernas cansadas. Baixei um pouco o ritmo até me sentir confortável. Ao entrar na ultima volta tentei gastar os restos de energia que tinha para aumentar o ritmo.

1º Km: 4:31 min.

2ª Km: 4:39 min.

3ª Km: 4: 35 min.

Tempo final: 13:46 min.

Como estava à espera fiz mais 12 segundos que na edição passada, esperemos que no próximo consiga pelo menos fazer melhor que nesta edição.

 

 

Challenge 3000 OZ Energia – tentar fazer melhor.

Posted in 2016 / 2017, Calendário de Corridas, Uncategorized with tags , , on 26 de Janeiro de 2017 by José Pedro

01

Dia 23 de Fevereiro vou regressar à pista para mais um Challenge 3000. Na minha primeira participação consegui fazer os 3.000 metros em 13:34 minutos e o objectivo na minha segunda participação será melhorar  o resultado, nem que seja em 1 segundo.

Desta vez já posso contar com a experiência.

Informações e Inscrições:

Challenge 3000

35ª Corrida dos Sinos – Reservada!

Posted in 2016 / 2017, Desabafos, Dicas, Uncategorized with tags , , on 19 de Janeiro de 2017 by José Pedro

cartaz_corrida_dos_sinos_2017_0

Já tenho a minha participação na Corrida dos Sinos reservada.

Participei no ano passado pela primeira vez e gostei imenso do percurso e da organização. Fui mal preparado para as dificuldades do percurso e sofri um pouco na subida final. Este ano espero ” vingar-me ” e para isso vou fazer uma preparação atempada e a pensar na prova.

Informações e Inscrições:

Corrida dos Sinos 2017

Corrida Sportzone com os Campeões – duas estreias numa só corrida.

Posted in 2016 / 2017, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , , , , , on 18 de Janeiro de 2017 by José Pedro

Domingo foi a minha estreia a dobrar: participei numa prova do nacional de estrada e corri com a ” amarelinha ” da Marcha e Corrida do Jamor.

Geralmente as corridas ao inicio da tarde nunca me trazem boas recordações. Por muito cuidado que tenha nas refeições do dia é raro não sentir o estômago pesado e algumas vezes desarranjos intestinais.

Depois do aquecimento com o restante ” gang do Jamor “, lá me posicionei no fim do pelotão, já que o dia era de craques e não queria estorvar ninguém.

16105550_10211837127909279_4329922310042698965_n

Sai calmamente e aproveitando a descida até à Marginal tentei meter um ritmo vivo, mas contido, já que a seguir tinha que enfrentar o Alto da Boa Viagem que foi ultrapassada de uma forma calma. Conhecendo bem o percurso ( local de muitos treinos ) estabilizei o ritmo nos 4:50 min/km até chegar ao retorno. Assim que dei a volta senti logo o ritmo a baixar devido ao vento contrário. Tentei adaptar-me à dificuldade e numa tentativa de não me desgastar muito fixei o ritmo nos 5:00 min/km.

5 Km: 24:51 min.

O ritmo continuava certinho. Tentei encostar-me a um grupo que ia um pouco mais à frente para me proteger do vento, mas foi impossível. O ritmo era muito idêntico e a distância mantinha-se. Assim que passei a estação de comboios da Cruz Quebrada, com o vento a mudar de direcção, aumentei novamente o ritmo. Mesmo sentido-me bem tentei não cair em loucuras já que tinha no meu pensamento a subida que iria enfrentar no ultimo quilómetro. Os primeiros 500 metros da subida ainda aguentei bem, mas com a inclinação a aumentar não tive outra hipótese senão baixar bastante o ritmo. Assim que o terreno ficou plano, ganhei fôlego e arranquei em direcção à meta a toda a velocidade e terminei com um tempo um pouco acima do que tinha previsto.

Tempo Real: 50:06 min.

16105912_600967636760690_7947690641591169111_n

Gostei imenso da prova, bem organizada, percurso diversificado e ambiente muito electrizante.

percursocorridacampeoes

altimetriacorridacampeoes

 

 

Treino Solidário RUNning / PNMC – Juntar o útil ao agradável.

Posted in 2016 / 2017, Dicas, Noticias, Uncategorized with tags , on 3 de Janeiro de 2017 by José Pedro

captura-de-ecra-149

Tenho a certeza que tens uma gaveta cheia de t´shirts dos brindes das corridas e que vai aumentando a cada corrida em que participas.

Aposto que tens uns ténis que já não usas e que ainda não te desfizeste deles porque mesmo usados parecem novos.

Acredito que tens algum material de corrida que já não usas, mas em bom estado e que não sabes o que fazer com ele.

Dia 14 de Janeiro no Jamor podes juntar o útil ao agradável: treinar com alguns craques nacionais, ser solidário com quem mais precisa e esvaziar algumas gavetas.

Diz lá se não é tentador?

Informações e inscrições:

Treino Solidário RUNning / PNMC

Imagem: Facebook

42ª São Silvestre da Amadora -Uma estreia anunciada há muito.

Posted in 2016 / 2017, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , on 2 de Janeiro de 2017 by José Pedro

captura-de-ecra-146

No ultimo dia de 2016 fechei o ano com a minha estreia na São Silvestre da Amadora. Quando era ” puto ” era obrigatório na noite de passagem de ano ir ver a São Silvestre e poder aplaudir alguns dos nossos craques que preenchiam o meu imaginário.

Passados uns bons anos resolvi voltar à Amadora no ultimo dia do ano, mas desta vez por dentro da corrida e poder assim sentir o calor da população que tanto puxa pelos atletas.

Como a tarde estava fria apostei num bom aquecimento, ainda vi a partida da elite feminina e só a cinco minutos da partida tomei a minha posição no fim do pelotão à espera do tiro de partida.

Tendo a maioria do pelotão à minha frente e sabendo que o percurso não é nada fácil resolvi adoptar uma estratégia cauteloso e sai num ritmo bastante calmo. Os primeiros dois quilómetros foram sempre a subir. Deixei-me ir sem entrar no desgastante zig-zag e assim que entrei na descida recuperei o fôlego e aumentei progressivamente o ritmo até chegar a um que fosse confortável para mim. Impulsionado pelo entusiasmo dos esperadores os quilómetros foram passando rapidamente.

5 km – 25:05 min.

Logo após o abastecimento tivemos que enfrentar uma curta, mas inclinada subida. Aguentei-me o melhor que consegui e assim que o terreno ficou mais plano tentei aumentar novamente o ritmo. Depois de enfrentar uma ultima subida pouco depois dos sete quilómetros, lancei-me com toda a energia em direcção à meta.O publico incentivava calorosamente o que obrigava as pernas a correrem mais. Durante  dois quilómetros fui contagiado pelo entusiasmo dos espectadores e o ritmo ia aumentando a casa passada. Cortei a meta na Amadora pela primeira e com a promessa de voltar mais vezes.

captura-de-ecra-147

Tempo Real: 49:12 min.

Tempo oficial: 50:05 min.

captura-de-ecra-145

Fotografia: AMMA Desporto

Meia-Maratona do Descobrimentos 2016 -São Pedro não foi amigo.

Posted in 2016 / 2017, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , , on 5 de Dezembro de 2016 by José Pedro

15317931_583020241888763_4887611363523241966_n

Domingo foi mais um dia de Meia-Maratona dos Descobrimentos. Cheguei cedo ao local de partida e rápidamente juntei-me aos outros membros do ” gang do Jamor “.  O dia estava bastante ” feio “, o que obrigou a um aquecimentos mais prolongado, a usar equipamento que para mim é pouco usual em corrida e posicionar-me na linha de partida o mais tarde possível.

Assim que foi dado o tiro da partida cada membro do ” gang do Jamor entrou no seu ritmo e cada um ficou por sua conta. Parti cauteloso e aos poucos fui entrando no ritmo que achava mais adequado ao meu estado físico. A chuva não dava descanso e quando mudamos de sentido por volta dos 2 kms apanhei o vento de frente, mesmo não sendo muito forte fazia-se sentir. Aos poucos, com alguma dificuldade o ritmo ia ficando mais vivo até chegar os 5 min/km.

5 km – 26:11 min.

Estava difícil de estabilizar o ritmo. O vento e as constantes mudanças de tragetória para evitar alguns perigos iam aparecendo devido à chuva iam tornando quase impossível manter-me  certo. Com o aproximar do quilómetro 10, veio a zona que menos gosto do percurso, o empedrado entre o Cais do Sodré e a Praça do Comercio. Neste local nunca consegui manter o ritmo e devido às inúmeras poças de água existentes tornei-me cauteloso e a passada ficou mais lenta.

10 km – 51:23 min.

Depois do empedrado tentei entrar no ritmo,  estava complicado mas aos pouco foi subindo até ao que eu achava ideal. Infelizmente não o consegui manter por muito tempo. À passagem dos 12,5 kms e com o respectivo retorno, o vento deixou de se fazer sentir, a chuva tinha abrandado bastante. Senti-me a ficar quente e tive que tirar o corta-vento e amarar à cintura o que me fez baixar novamente o ritmo. Sabendo que ainda ia apanhar empedrado no Rossio e novamente no Cais do Sodré tentei economizar algumas energias até passar por esta parte do trajecto que para mim é complicada e tentar fazer os últimos quilómetros mais certinho.

15 kms – 1:16:56 h

Aproveitei o abastecimento dos 15 quilómetros para alimentar-me, hidratar-me, refrescar-me, ajustar o equipamento à melhoria das condições climatéricas e preparar-me psicologicamente para os últimos 5 quilómetros. Meti o ” piloto automático ” nos 5:04 min./km e assim fui até cortar a meta.

percursomeiamaratonadescobrimentos

Tempo Real: 1:48:23 h

Tempo Oficial: 1:48:58 h

Foi a primeira vez que corri com as condições climatéricas tão adversas, o que serviu de aprendizagem para futuras corridas e sendo o meu primeiro objectivo ( fazer abaixo da 1:50 h ) alcançado. Tinha um segundo objectivo que não foi alcançado, mas que também não  o vou divulgar, ficará à espera de uma próxima oportunidade.

meia-maratonadescobrimentos2016

Penso que foi a primeira vez que a organização da prova me tirou tanto tempo no tempo real, penso que tenha havido um erro na cronometragem.