Arquivo de Março, 2016

Meia-Maratona de Lisboa 2016 – Um treino diferente.

Posted in 2015 / 2016, As minhas corridas with tags , , , , , , , on 23 de Março de 2016 by José Pedro

1934485_495834570604262_8278431603991465541_n

A noite soube a pouco e após um bom pequeno almoço lá fui a caminho de mais uma participação na Meia-Maratona de Lisboa.

Encontrei-me com companheiros de ” batalhas ” anteriores e lá fomos em direcção à Ponte 25 de Abril para mais uma.

Não estando a fazer uma preparação a pensar nesta corrida, optei por encarala como um treino especial e sem grandes ambições em termos de tempo final. O objectivo era desfrutar o mais possível e terminar bem.

Não havendo possibilidades de fazer um aquecimento adequado, optei por fazer alguns alongamentos e aquecer as articulações enquanto esperava pelo tiro de partida.

À hora marcada foi dado o tiro de partida. Aproveitei os primeiros quilómetros para aquecer e sempre com imenso cuidado para não tropeçar em ninguém. Segui sempre nas pisadas de um dos meus companheiros e na descida para Alcântara o ritmo aumentou ligeiramente de uma forma natural.

5 km – 28:42 min.

Depois de uma ” luta titânica ” por uma garrafa de água no abastecimento, aproveitamos o terreno plano para meter um ritmo certo a rondar os 5:40 min./km que pretendíamos levar até à passagem pelo décimo quilómetro. Resistia à vontade do corpo em querer por um andamento mais vivo e mantive-me em modo de treino.

10 kms – 57:01 min.

Cada abastecimento era uma dor de cabeça para se conseguir sair ” vivo “. Como a confusão era sempre muita optei por saltar os abastecimentos intermédios e os que tinham bebidas energéticas onde a confusão era ainda maior. Como estava nos ” plano de corrida “, aumentamos ligeiramente o ritmo e estabilizamos nos 5:35 min./km sem problemas de maior.

15 kms – 1:25:04 h.

Sentindo-me bem. À passagem do quilómetro quinze troquei de posição com o meu companheiro de aventura e  passei a ser eu a ” lebre ” de serviço. O desgaste já se fazia sentir e os últimos quilómetros foram feitos mais rápidos mas sempre em gestão de esforço. Rapidamente tínhamos a reta da meta à nossa frente e ainda conseguimos meter a ” 5ª velocidade ” para terminar em grande estilo.

Tempo Real: 1:58:11 h

Tempo Oficial: 2:00:41 h

946754_495834657270920_344017458819703437_n

Esta corrida não vai deixar grandes saudades e só voltarei a participar se a inscrição cair do céu. O preço da prova é para ” estrangeiros “, a logística para chegar à ponte é enorme, a partida das duas provas ao mesmo tempo não tem lógica, os abastecimentos são uma enorme confusão ( as bebidas energéticas a copo e só numa mesa é de loucos ), o escoamento dos atletas que terminam a prova é muito lento e os brindes são uma amostra comparando com o que davam à uns anos atrás.

Valeu pelo companheirismo e por realizar um treino onde geralmente não posso fazer.

Fotos: Correr Lisboa

Captura de Ecrã (54)

Reconciliação após 5 anos de divorcio.

Posted in 2015 / 2016, Desabafos, Uncategorized with tags , , , on 18 de Março de 2016 by José Pedro

EDP-Meia-Maratona-de-Lisboa-2016_Lisbon-Half-Marathon-2016

Domingo vou estar de volta à ponte 25 de abril após 5 anos de ausência. Posso dizer que tenho uma relação de amor / ódio com Meia.Maratona de Lisboa.

Foi onde me iniciei nas corridas com várias participações na mini e quando os 7/8 quilómetros já não chegavam estreei-me na meia-maratona em 2007.

A minha ultima participação foi no ano 2011 e nestes últimos 5 anos tenho evitado esta prova devido ao seu elevado preço de inscrição e à logística enorme para chegar à linha de partida.

Numa prova considerada fácil para muitos,nunca consegui grandes tempos por diversas circunstancias e também não vai ser este ano que o vou obter.

A inscrição caiu-me nas mãos quando esta prova não estava no meu calendário, sem grande preparação para a distância e tendo outra corrida no meu horizonte vou-a encarar como um treino… talvez um pouco mais rápido!

Uma coisa é certa, se não tivesse um dorsal gratuito não seria este ano o meu regresso. Prefiro participar em corridas populares a preços de inscrição mais baixo do que as mediáticas a preços de ” turista “.

Quero agradecer à EDP e aos meus amigos a oportunidade de pisar o palco onde me estreei nestas andanças, já lá vão uns bons anos.

Corrida das Lezírias 2016 – Estreia.

Posted in 2015 / 2016, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , on 7 de Março de 2016 by José Pedro

 

CorridaLezírias2016

CorridaLezírias2016-1

Depois de muitos anos a ouvir falar da ” Corrida das Lezírias ” e por diversos motivos nunca ter participado, resolvi que seria em 2016 a minha estreia.

Não conhecendo o percurso tentei saber através de amigos corredores quais seriam as principais dificuldades e qual seria a melhor maneira de gerir o esforço durante a prova. Todos salientaram que a subida de ponte era a principal dificuldade e que o resto do percurso era plano sem dificuldades de maior. Depois descobri por experiência própria que não era assim tão simples.

Tentei sair calmante, evitando sempre que possível o tentador zig-zag por entre atletas mais lentos e tomando precaução em relação ao piso de paralelos. Enfrentei a subida da ponte com um ritmo certinho e na descida tentei embalar um pouco e apanhar um ritmo mais vivo. Assim que saímos da ponte entramos logo nas Lezírias Ribatejanas. O piso macio, ligeiramente a descer facilitava os ritmos mais vivos e deixei-me embalar por breves instantes até me aperceber que o melhor seria conter-me um pouco.

5 km – 24:39 min.

Vinha bastante confortável no meu ritmo, mas o piso a partir dos sexto quilómetro começou a mudar. Os corredores começaram a procurar as zonas sem pedras no trilho e que levou a uma diminuição do ritmo, dificultava as ultrapassagens e tínhamos que ter os olhos fixos no chão. Com o passar dos quilómetros o piso foi ficando mais deteriorado com marcas dos animais que passam na zona. A maioria dos atletas optou por seguir nos trilhos feitos pelos carros e naturalmente formamos uma longa fila indiana. Deixei-me ir ao ritmo dos companheiros da frente, não tirando os olhos do chão para não correr riscos de por uma pé mal posto.

10 kms – 49:36 min.

O piso gradualmente foi melhorando, mas continuava a obrigar a ir em fila indiana. Tentei aproveitar bem o abastecimento dos 11,5 quilómetros para recuperar forças, mas quando tive que enfrentar novamente a subida da ponte tive que me por em ” piloto automático ” e deixar-me ir. A subida foi dura e quando apareceu a descida respirei fundo, recuperei forças para tentar meter novamente um ritmo mais vivo. Esse objectivo foi alcançado até aparecer novamente os paralelos. Sendo o meu ponto fraco, baixei novamente o ritmo e ia fazendo uma gestão do esforço conforme tinha o piso mais ou menos regular.

15 kms – 1:16:22 h.

Sendo os últimos 500 metros em piso regular, aproveitei para num derradeiro esforço dar um pouco mais de mim e terminar a prova em grande.

Tempo Real: 1:18:15 h

Tempo Oficial: 1:19:09 h.

CorridaLezírias

Gostei imenso da prova, bom ambiente, percurso interessante e bem organizada. Só tive pena de o piso ser bastante irregular na Lezíria o que não permitia usufruir da paisagem como ela merecia.

Captura de Ecrã (8)

Fotos: aminhacorrida.com