6ª Corrida ” 10 kms Bucelas Capital do Arinto – regresso ao vicio.

Posted in 2016 / 2017, Uncategorized on 23 de Maio de 2017 by José Pedro

Corrida Arinto Bucelas

Depois de ter recuperado de uma lesão e de ter só um mês de treinos, resolvi voltar a Bucelas para mais uma prova. Sabia que o percurso tem alguma dureza, mas como sempre gostei deste percurso resolvi arriscar o meu regresso nesta prova.

CorridaArinto2017

Meti-me na parte de trás do pelotão e fui dos últimos a passar a linha de partida e a dar inicio à competição. Os primeiros dois quilómetros feitos em circuito dentro da vila foram ultrapassados a um ritmo calmo. Mas assim que fomos em direcção à Vila de Rei, o corpo pedia um pouco mais de energia e o ritmo foi aumentando gradualmente. Tentei estabilizar o ritmo nos 5:10 min./km até chegar à primeira grande subida. Imprimi um ritmo de gestão para aguentar os 400 metros de subida e na descida tentei recuperar um pouco o fôlego. Assim que cheguei ao terreno plano voltei a imprimir o ritmo que tinha antes da subida.

5 Km – 26:48 min.

Novamente em direcção a Bucelas sentia o corpo com vontade de puxar, mas tive que me conter sabendo que ainda havia uma segunda subida que metia respeito. Já em direcção à Bemposta o andamento andava bastante certo até chegar à segunda subida com 500 metros. Desta vez já tive mais dificuldades. Geri da melhor maneira a situação e quando comecei a descer deixei-me ir em ” piloto automático ” para recuperar alguma energia. O últimos dois quilómetros foram feitos em bom ritmo e terminei esta dura prova cheio de energia.

10 Km – 53:17 min.

Altimetria Corrida Bucelas

Challenge 3000 Oz Energia -faltou energia.

Posted in 2016 / 2017, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , , on 6 de Março de 2017 by José Pedro

16996365_10212236013481169_3667011418393168985_n

Pela segunda vez participei no ” Challenge 3000 “. Se na primeira vez foi para experimentar a sensação de correr em pista, à segunda pretendia fazer melhor na participação anterior.

Como me sentia cansado de umas semanas de treinos mais intensas, sabia que a missão de fazer melhor seria bastante complicado, mas nada me iria impedir de tentar.

Ao tiro de partida até consegui partir rápido. Nas centenas de metros a seguir tentei estabilizar o ritmo, mas estava difícil e sentia as pernas cansadas. Baixei um pouco o ritmo até me sentir confortável. Ao entrar na ultima volta tentei gastar os restos de energia que tinha para aumentar o ritmo.

1º Km: 4:31 min.

2ª Km: 4:39 min.

3ª Km: 4: 35 min.

Tempo final: 13:46 min.

Como estava à espera fiz mais 12 segundos que na edição passada, esperemos que no próximo consiga pelo menos fazer melhor que nesta edição.

 

 

Challenge 3000 OZ Energia – tentar fazer melhor.

Posted in 2016 / 2017, Calendário de Corridas, Uncategorized with tags , , on 26 de Janeiro de 2017 by José Pedro

01

Dia 23 de Fevereiro vou regressar à pista para mais um Challenge 3000. Na minha primeira participação consegui fazer os 3.000 metros em 13:34 minutos e o objectivo na minha segunda participação será melhorar  o resultado, nem que seja em 1 segundo.

Desta vez já posso contar com a experiência.

Informações e Inscrições:

Challenge 3000

35ª Corrida dos Sinos – Reservada!

Posted in 2016 / 2017, Desabafos, Dicas, Uncategorized with tags , , on 19 de Janeiro de 2017 by José Pedro

cartaz_corrida_dos_sinos_2017_0

Já tenho a minha participação na Corrida dos Sinos reservada.

Participei no ano passado pela primeira vez e gostei imenso do percurso e da organização. Fui mal preparado para as dificuldades do percurso e sofri um pouco na subida final. Este ano espero ” vingar-me ” e para isso vou fazer uma preparação atempada e a pensar na prova.

Informações e Inscrições:

Corrida dos Sinos 2017

Corrida Sportzone com os Campeões – duas estreias numa só corrida.

Posted in 2016 / 2017, As minhas corridas, Uncategorized with tags , , , , , , on 18 de Janeiro de 2017 by José Pedro

Domingo foi a minha estreia a dobrar: participei numa prova do nacional de estrada e corri com a ” amarelinha ” da Marcha e Corrida do Jamor.

Geralmente as corridas ao inicio da tarde nunca me trazem boas recordações. Por muito cuidado que tenha nas refeições do dia é raro não sentir o estômago pesado e algumas vezes desarranjos intestinais.

Depois do aquecimento com o restante ” gang do Jamor “, lá me posicionei no fim do pelotão, já que o dia era de craques e não queria estorvar ninguém.

16105550_10211837127909279_4329922310042698965_n

Sai calmamente e aproveitando a descida até à Marginal tentei meter um ritmo vivo, mas contido, já que a seguir tinha que enfrentar o Alto da Boa Viagem que foi ultrapassada de uma forma calma. Conhecendo bem o percurso ( local de muitos treinos ) estabilizei o ritmo nos 4:50 min/km até chegar ao retorno. Assim que dei a volta senti logo o ritmo a baixar devido ao vento contrário. Tentei adaptar-me à dificuldade e numa tentativa de não me desgastar muito fixei o ritmo nos 5:00 min/km.

5 Km: 24:51 min.

O ritmo continuava certinho. Tentei encostar-me a um grupo que ia um pouco mais à frente para me proteger do vento, mas foi impossível. O ritmo era muito idêntico e a distância mantinha-se. Assim que passei a estação de comboios da Cruz Quebrada, com o vento a mudar de direcção, aumentei novamente o ritmo. Mesmo sentido-me bem tentei não cair em loucuras já que tinha no meu pensamento a subida que iria enfrentar no ultimo quilómetro. Os primeiros 500 metros da subida ainda aguentei bem, mas com a inclinação a aumentar não tive outra hipótese senão baixar bastante o ritmo. Assim que o terreno ficou plano, ganhei fôlego e arranquei em direcção à meta a toda a velocidade e terminei com um tempo um pouco acima do que tinha previsto.

Tempo Real: 50:06 min.

16105912_600967636760690_7947690641591169111_n

Gostei imenso da prova, bem organizada, percurso diversificado e ambiente muito electrizante.

percursocorridacampeoes

altimetriacorridacampeoes

 

 

Solidário sem treinar

Posted in Parcerias, Uncategorized with tags , on 16 de Janeiro de 2017 by José Pedro

20170113_203022

A iniciativa era de ser um treino solidário, sendo obrigatório a doação de equipamento desportivo em troca de um treino orientado.

Tendo uma prova no mesmo dia, optei por não treinar, mas não quis deixar de ser solidário.

Ofereci algumas t´shirts que andavam dentro dos armários sem uso e uns ténis que já suspiravam por sair ao ao livre.

Espero que o meu donativo seja bem distribuído e que tenha o uso que lhe é devido.

 

Maratona à moda do Porto.

Posted in Desabafos, Uncategorized with tags , , on 6 de Janeiro de 2017 by José Pedro

captura-de-ecra-151

Como se costuma dizer: ” Não há duas sem três “. Depois de fazer a Maratona de Lisboa em 2011, no antigo percurso e em 2013 no novo, resolvi inscrever-me na Maratona do Porto 2017.

Após a minha estreia na distância fiz um acordo comigo próprio que iria fazer uma maratona de dois em dois anos para não massacrar muito o corpo ( principalmente os meus joelhos ), para não provocar um grande desgaste e porque treinar para uma maratona consome muito do nosso tempo livre.

Como poucas coisas da vida são certas, depois de uma demorada lesão em 2014 tive que deixar essa ideia de lado. A recuperação foi longa, o retorno também não foi fácil e precisei de algum tempo para voltar a correr distâncias mais longas.

Depois  um longo processo de voltar a ter confiança nas minhas capacidades em distâncias mais longas, chegou a vez de consolidar a forma física até poder enfrentar a maratona.

A escolha recaiu no Porto por ouvir falar muito bem da organização, do percurso, do incentivo que se tem ao longo do percurso e por querer experimentar algo diferente.

Se tudo correr dentro do previsto, irei começar a treinar em Julho com um único pensamento: estar em  Novembro na Invicta para enfrentar pela terceira vez os míticos 42,195 metros.

Até lá é continuar a treinar com muito juízo!